30 de setembro de 2015

Arábia Saudita: parem de decapitar e crucificar pessoas! (Petição Pública)

Há menos de uma semana publiquei aqui no JusBrasil um artigo/notícia que nomeei de: "Oposição à regime leva jovem a ser condenado à decapitação seguida de crucificação, na Arábia Saudita"; hoje vejo em meu email pessoal uma petição pública que o AVAAZ. Org organiza tentando evitar a decaptação do Jovem opositor do regime atual, Saudita!
Imediatamente dirigi-me a página para assinar a petição, uma vez que a pena de morte sempre teve e terá a minha indignação. Mesmo que o rapaz fosse um criminoso sanguinário ainda o teria pois, a meu ver "Direitos Humanos são para Humanos e Desumanos" - deixe a Justiça fazer justiça, JUSTA!
A pena de morte é desumana e degradante diz a DUDH e a Anistia Internacional luta para por um fim a esse tipo de pena no mundo!

Veja o que diz a Petição da AVAAZ:

A Arábia Saudita está prestes a decapitar um rapaz de 21 anos de idade e crucificá-lo em praça pública. Este mesmo país acaba de ser escolhido para chefiar um painel do Conselho de Direitos Humanos da ONU. Seria cômico se não fosse trágico!
Arbia Saudita parem de decapitar e crucificar pessoas Petio Pblica
Preso aos 17 anos, Ali Mohammed al-Nimr foi torturado e condenado à prisão por participar de manifestações contra o governo. O caso do jovem, porém, não é uma exceção no país: apenas neste ano, a Arábia Saudita já condenou à morte mais de cem pessoas, o que significa uma execução a cada dois dias.
A França exige que o país suspenda a execução de Ali, e os Estados Unidos, a Alemanha e o Reino Unido também mantêm relações muito próximas com o regime. Portanto, a melhor maneira de fazer alguma coisa pelo jovem é canalizar nossa indignação para os líderes destes países, e fazê-los pressionar os aliados sauditas.Basta assinar agora para ajudar a salvar Ali, que pode ser decaptado a qualquer momento.
A Petição já possui, até este momento 1.140.887... E +... Assine você também!
FonteAVAAZ. Org
Comentários: Elane F. De Souza
Foto/Créditos: AVAAZ. Org


29 de setembro de 2015

Cursos Telepresenciais ou via internet: qual o melhor opção de comodidade, praticidade e economia?


O que muitos imaginavam, até pouco tempo, ser coisa de outro mundo popularizou-se de uma forma quase que “assustadora” (a meu ver, espetacular)!
Lembro-me que em 2003 (ou 2004, já não me recordo bem o ano) fui testemunha da criação, inclusive colaborei com o sucesso (pois fui aluna), de um dos primeiros cursos telepresenciais do Brasil (quiçá o primeiro).
Naquela época, mesmo sendo um pouco “arcaico” para os dias de hoje, fez grande sucesso: às vezes o satélite era prejudicado pelo sol e tínhamos as aulas “cortadas” por um período (minutos ou horas); no entanto, gravavam em São Paulo, que era a sede (e ainda é) e nos disponibilizavam depois. Dessa forma, ninguém no Brasil sairia prejudicado.
O curso de que falo abriu salas (franquias) por todo o país. Em mais ou menos três anos já havia sido abertas escolas receptoras do sinal em todas as capitais e em muitas outras cidades do interior do Brasil. Estavam sempre lotadas de gente fazendo “cursinhos para OAB, e Concursos Públicos).

Há doze anos não existia Faculdades para formação superior que oferecesse cursos assim – hoje, já são muitas que o fazem dessa maneira; todavia, delas nada posso discorrer porque não tenho experiência com esse tipo de ensino superior.
No ano de 2004 fiz dois cursos do tipo (telepresenciais - para OAB e Concurso). Havia acabado de sair da Faculdade e como não fui uma boa aluna durante o curso, acreditava que devia me preparar bem para a OAB. Foi o que fiz. Matriculei-me e obtive sucesso na primeira tentativa.
Mais tarde parti para outro. Fiz um que era específico para Delegado Federal. Estudei muito, todavia não era chegada a minha hora. Tive a oportunidade de ver minha prova dissertativa corrigida, mas depois fiquei com uma classificação impossível de ser chamada para o físico. Antes a exigência era a escrita de uma redação dissertativa (algum tema da atualidade); hoje é uma peça específica da Autoridade Policial (Prisão Preventiva, P. Provisória. Portaria, Interceptação Telefônica, etc).
A vantagem desse tipo de curso, naquele tempo, era a possibilidade de estudar com os melhores mestres do país.
Grandes nomes da Magistratura, Doutrinadores e Procuradores da República se transformaram em “estrelas”, passando a fazer palestras e “mini” cursos pelo Brasil todo. 

As obras que escreviam eram publicizadas durante as aulas, o que os levavam a vender muito mais do que venderiam não fosse o curso ministrado via satélite.
Bons tempos aqueles para nós alunos e muito mais para eles que se tornavam conhecidos. Reconhecidos no “mercado Jurídico” e até pela mídia como um nome a ser contratado para a palestra tal, do Congresso tal, da Faculdade de Direito Y.
Hoje, acredito que a vantagem maior seja estudar via internet. E isso não vale só para concursos e OAB; afortunadamente (em 2017/2018) já é possível fazer pós graduação, Mestrados, cursos livres e técnicos de quase todas as áreas; todavia, há que conhecer bem a escola ou pesquisar, informar-se da qualidade do ensino disponibilizado virtualmente.

Existe coisa melhor que estudar na comodidade do lar sem ter que se locomover, gastar gasolina, vestimenta, perfume e maquiagem ( neste último caso, mulher sabe do que falo) e ainda ter que encontrar estacionamento - pior ainda, ter que pagar mais caro que a gasolina, por ele?. 

Estudando em ambiente virtual não precisaremos nos estressar no trânsito, tampouco enfrentar a "guerra" que há aí fora.
Essa conversa parece mais coisa de gente com síndrome de panico, não é? Só que não!
O fato é que se você deixa de frequentar os cursos presenciais e tem foco tudo correrá melhor. Pense na economia de tempo e dinheiro!? Pense naqueles momentos perdidos que tem no trânsito e nas conversas paralelas com colegas de sala e na pressão que sofre de alguns amigos que a frequentam, para dar uma “saidinha no final de semana”.
Pode até ter alguma vantagem frequentar os presenciais; todavia, depois que conheci a comodidade dos “online” nunca mais fiz cursos dessa forma. São mais baratos, podem ser assistidos várias vezes, alguns tem acesso ilimitado das aulas até que finde o contrato (pode voltar o vídeo se não entendeu até compreender tudo), e se sair para ir ao banheiro pare e recomece. 

Poderia fazer isso na sala de aula, presencial? Experimente pedir ao Professor para dar uma "paradinha" enquanto vai ao WC fazer um "xixi básico". Não vai funcionar e você perderá algum trecho da “palestra”. A não ser que pegue com o colega, o que já não é a mesma coisa.
Portanto, já entenderam a minha preferência. A qualquer um a minha resposta será sempre a mesma: sem dúvida opto pela comodidade, economia e praticidade. Como dito anteriormente, se o aluno souber escolher terá um excelente curso exibido dentro de casa, a qualquer hora do dia ou da noite, e com excelentes professores – é só fazer uma pesquisa (para isso também serve a internet). Veja onde estão os melhores, ou os de sua preferência e matricule-se nele.
É sucesso garantido! Só não perca o foco vendo o face enquanto os vídeos estiverem sendo exibidos - esqueça da geladeira por algumas horas e não deixe que a confortável cama te seduza!
Exija silêncio! Se não funcionar, use fones de ouvido.
A TV também é sedutora (às vezes). Novelas e telejornais são o fraco de muita gente – mas siga em frente; se consegue dizer não para ao face e WhatsApp, a TV é “fichinha”!
Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B (ao copiar, citar ou reproduzir cite a fonte)
Figura/Créditos: superAbril. Com

27 de setembro de 2015

Clérigo Saudita afirma que "esmagamento durante o Hajj foi vontade de Alá"

Existem assuntos que aparecem na mídia que juro, gostaria muito de não comentar, infelizmente não dá, foge ao meu controle.
Há alguns dias venho acompanhando o assunto do"incidente" trágico que se passou na Arábia Saudita"(morte de 700 pessoas e em torno de 800 feridos). Poderia ficar por aqui sem tecer sequer um comentário acerca do assunto não fosse a ultima notícia que li, qual seja:"Clérigo Saudita afirma que "esmagamento durante o Hajj foi vontade de Alá".
“Rezo por todas as vítimas desse esmagamento, rezo para que sejam considerados mártires. Oferecemos os nossos pêsames às suas famílias e que a sua morte não tenha sido em vão, foi a vontade de Alá”, disse um peregrino egípcio, Siraj-Eddin Abdel Satttar.
Mas e então, porque tanta comoção, tanta lamúria se a vontade foi de Alá? Se é por Ele que multidões se dirigem a Meca cada ano para orar (ou rezar) e apedrejar um certo monumento de nome, "pilares de Jamarat" que simbolizam o diabo, não há um porquê das lamentações.
Os tais "Pilares" estão localizados em Mina; apedrejá-los faz parte do ritual.
Ironias ou não, o fato é que, o diabo não deve gostar nada disso. Todos os anos a mesma coisa! Pedras e mais pedras são atiradas em direção ao monumento que dizem simbolizá-lo (todavia foi o homem que o construiu, o fez assim, como todos os outros símbolos que simbolizam esse ou aquele deus).
Quem gostaria de ver o seu símbolo de adoração sendo apedrejado por infiéis. Quando digo infiéis estou me referindo a quem não os adora (se adora o diabo, logo é um "infiel a Jeová", Alá e a quaisquer outros que se denominam Deuses).
Dessa forma, diferente do Clérigo, eu culparia o diabo dessa tragédia. Já que se tem de colocar a culpa em alguém que seja no ofendido - o diabo foi e sempre é o ofendido nessas peregrinações. O monumento em sua homenagem sempre sofreu apedrejamento, creio que ele ainda vem sendo bastante complacente. "legítima defesa do diabo"!
Apesar dessa "complacência diabólica" já houve outros "incidentes" como esse, ou ainda piores que esse, antes. Veja:
A peregrinação anual de Meca, que atrai milhões de muçulmanos de todo o mundo, representa sempre um grande perigo, devido às multidões. Os incidentes são comuns. A última tragédia do género aconteceu em 2006, durante esse mesmo ritual.O acidente mais grave de que há memória deu-se há 25 anos e custou a vida a mais de 1400 pessoas.
A Arábia Saudita mobilizou dez mil policiais para acompanhar a peregrinação deste ano que se findou ontem (sábado 26).
Quando o Clérigo disse que "a debandada ocorrida durante o Hajj estava para além do controle humano”, logo me veio a cabeça que ele iria se referir ao demônio - qual foi minha surpresa ele dizer que a vontade teria sido de Alá!
Todavia normal! Quem nunca ouviu alguém se referir a uma tragédia qualquer como sendo vontade de deus?
Mas, se é tão normal assim deuses praticarem barbaridades com seus fiéis quando eles o estão adorando, o que" Ele "(deus) não faria com os infiéis?
Acidentes dessa monta sempre gera desconforto nesse ou naquele grupo" ofendido ". Nesse momento é do Teerã as fortes reações contra o governo da Arábia Saudita pela morte de dezenas de seus nacionais.
Clrigo Saudita afirma que esmagamento durante o Hajj foi vontade de Al
Ontem, sábado 26, milhares de iranianos desceram às ruas da capital para condenarem o governo e família real sauditas.
Fontept. Euronews
Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B
Foto/Créditos: Brasil. Elpais. Com


25 de setembro de 2015

Faça “Upgrade” na carreira – estude mais; afinal, poucas de nós nascemos para Gisele Bundchen


Dizem os espertos (especialistas) em informática que o termo “Upgrade” só pode ser utilizado na computação pois teria o seguinte significado:
por Significados. Com ) “Significa uma atualização em computação, para uma versão mais recente de um determinado produto. Upgrade é muito utilizado na área da informática e de equipamentos eletrônicos, e pode ser a troca de um harware, um software ou um firmware, por uma versão melhor ou um versão mais recente, ocorrendo aí mais funcionalidade ou melhorando os sistemas já existentes.

Upgrade também é um termo usado para a compra de novos laptops, para a troca de peças. E em arquivos de áudio se referindo a substituição de um arquivo por outro com uma codificação superior, de melhor qualidade.

Dentro da área de informática, ainda existem vários gêneros de upgrade, e subgêneros, e que são utilizados de acordo com a finalidade a que se destinam. Os software podem sofrer um upgrade para implementar um funcionalidade nova, atualizações de performance, para grandes atualizações que podem mudar a versão e até mesmo o produto, e ainda para corrigir uma falha de segurança ou do sistema. Existem algumas ferramentas utilizadas para alguns tipos de upgrade de software, como o Windows Update, ou RPM, APT entre outros.

Upgrade é, então, uma atualização por troca ou por acréscimo, e é um conceito que só deve ser utilizado na área de informática”.

- Sendo assim, o que faço? Peço aos “amigos”, especialistas em informática, licença temporária para me utilizar do termo, como já fizeram antes alguns publicitários?
- Quem não se lembra da publicidade em que aparecia a Pâmela Anderson, bem mais jovem, "vestida" de socorrista marítima?
Para quem não se lembra explico: na referida publicidade um rapaz se afogava e uma bela jovem estava prestes a fazer um “boca-a-boca" nele…, nesse momento ele ainda se encontrava com os olhos fechados, fingindo estar desmaiado pelo afogamento; quando, de repente surge Pâmela Anderson, na sua esplendorosa juventude, vestida apenas com um maiô vermelho; já não me lembro carregando o que, só que suas “vestimentas” sugeria que ela fosse uma socorrista (salva vidas da época S. O. S Malibu) – mais que depressa o rapaz abre os olhos, pensa numa situação melhorada e fica pronto para receber o “boca-a-boca” que seria feito pela outra (que já era bonita), só não era a Pâmela! (A publicidade é do fiesta upgrade).
Que quero dizer com tudo isso?
Serve como ilustração de que podemos sim nos valer da palavra (do estrangeirismo) Upgrade quando quisermos nos referir a algo que possa ser melhorado. É o que a publicidade fez e ainda falou!
-Mas a que vem tudo isso?
Foi a leitura de uma notícia engraçada e um tanto quanto inusitada, da forma que uma jovem se utilizou para conseguir o emprego de apresentadora, tão sonhado por ela (via notícias R7. Com).
A estudante de Relações Públicas queria ser apresentadora de TV e teve uma ideia inesperada. Ao começar o teste para um telejornal da Zjarr, emissora dea Albânia, Enki Bracaj, de 21 anos, abriu a blusa para mostrar o decote. Parece que a ideia deu certo. Enki bombou na internet, após um funcionário da emissora jogar as imagens do teste na internet, e ela abocanhou a vaga.
Faa um Upgrade na carreira estude mais afinal poucas de ns nascemos para Gisele Bundchen ou quase nenhuma
Teste inusitado para vaga de apresentadora de telejornal
O teste de Enki foi visto mais de 1 milhão de vezes, e compartilhado por milhares de usuários nas rede sociais.
A repercussão foi tanta que ela acabou aprovada pela emissora. Vai apresentar um telejornal local.
"Era meu sonho ser apresentadora de TV", explicou ela. "Por que não usar minha beleza para impressionar no teste? A imagem é importante na TV, como todo o mundo sabe".
"Abrir a blusa foi uma brincadeira, mas também uma maneira de ganhar mais pontos com quem estava me avaliando", disse a moça.
A performance diante da câmera foi detonada por muitos internautas. "Não leva jeito para apresentar coisa alguma", disseram muitos que comentaram nas redes sociais.
"O teste é também para avaliar como a pessoa se comporta na frente de uma câmera", afirmou um porta-voaz da emissora.
“E a candidata mostrou que tem pontos positivos e que podem melhorar muito. De fato, ela só irá dominar a apresentação ao longo do tempo, com a experiência”.
"A maioria concorda que ela pareceu meio desajeitada. Mas á algo que podemos aprimorar. Nada no estilo dela pode prejudicar a audiência", completou o porta-voz da emissora,
Outra questão foi levantada por muita gente na internet: a estudante teria feito o teste do sofá pra conseguir o emprego?
"De maneira nenhuma. Mostrar o decote é uma coisa, transar com alguém é algo bem diferente", explicou ela.
"Não apelei para entrar na TV. Só fiz uma coisa inusitada. Não fiz sexo com chefe, nem faria", avisou.
"Me considero uma pessoa corajosa", escreveu ela em contas nas rede sociais
"Meus pais apoiaram a decisão", diz ela
"A TV tem um mercado competitivo", argumenta. "Por isso resolvi me colocar à frente, inovar no teste".
"Eu sei que me expus. Mas esse tipo de exposição não acaba necessariamente com a reputação de uma pessoa que quer trabalhar à frente de um telejornal", ponderou a garota, que costuma postar "fotinhas" sensuais nas redes.
Foi muito legal ler essa notícia. Eu, pelo menos ri muito e me serviu de incentivo para estudar mais e mais a cada dia, afinal nem todas nós nascemos Gisele Bundchen, Pâmela Anderson e nem mesmo nascemos essa moça da notícia (a Enki Bracaj, nascida na Albânia, de 21 anos), “corajosa e desprendida” de certos pudores.

Lembre-se, a técnica pode até ter funcionado para ela, todavia não creio que seja uma que valha, que funcione para todas, afinal muitos setores da sociedade brasileira (empresas privadas e órgãos públicos) ainda prezam pelo conhecimento; o melhor então é seguir estudando: beleza e os dotes físicos um dia acabam, o que você aprendeu na escola com ajuda dos livros e na vida, são os únicos que ficarão.
O mesmo serve para os homens (só inverta os papéis, se coloque no lugar delas)!
Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B

24 de setembro de 2015

Escrevendo DIREITO! Dicas importantes da língua portuguesa

Mesmo não cheguando perto da sapiência de nomes como Aurélio Buarque de Holanda Ferreira (Autor do Dicionário Aurélio), Antônio Houaiss (do Dicionário Houaiss), Machado de Assis, Rui Barbosa, Euclides da Cunha, Fernando Pessoa e tantos outros nomes consagrados pela “língua Portuguesa” procuro sempre pesquisar e fazer a correção antes de finalizar um artigo, texto, peça ou redação.  

Felizmente, hoje, estamos super bem “amparados” (na Era da Informação); agora, imagine se vivêssemos na época de Luiz de Camões, Padre Antônio Vieira e até na de Rui Barbosa que é de um passado próximo – mas que ainda não existia internet, muito menos o dicionário online do Antônio Houaiss, ou o VOLP (este, da Academia Brasileira, com cerca de 381.000 verbetes) que pudesse nos socorrer todo momento?

Seria o caos para a maioria de nós - não é verdade?

Seguramente que escrever hoje é bem mais fácil que há 30 anos. 

Imagine que eu, um dia, tive o “privilégio” de aprender datilografia (coisa que parece século passado - e, É)!
Penso que o trabalho de uma secretária datilógrafa (hoje), teria que ser considerado insalubre.  A Lei deveria ampará-la com o direito de trabalhar apenas 20 horas semanais e incluí-la no rol dos que se aposentam com menos tempo de serviço (aposentadoria especial).

*O CENTRO DO CONCURSEIRO TE AJUDA A PASSAR - QUER SABER MAIS AQUI - sem compromisso!
- Eita “trabalhinho” duro era àquele de apertar teclas; certamente, em 10 anos de labôr a pessoa já estaria com “L. E. R” em último grau!
Agora pense que você é um escritor ou Advogado, vive em 1970, tem que escrever sem apoio da internet e “digita” (digo, datilografa) em uma máquina dura, pesada e relativamente lenta em se comparando com o moderno leptop ou notebook do ano de 2015 que possui. - pois é, vida dura, difícil, não é mesmo?  

É por isso que devemos “tirar o chapéu” para os poetas e escritores que citei no início.
Hoje, com tanta facilidade e “motores de correção”, ainda cometemos erros, considerados grosseiros, de gramática e concordância, imagine se vivêssemos na “Era da Pena ou Datilografia”?  

Antônio Houaiss e Rui Barbosa não conseguiriam, sequer, “passar os olhos” num texto nosso (vergonha total)!
Para ajudar passarei a transcrever alguns exemplos de escrita proibida nas redações para concurso, vestibular, exame da ordem, peça prática ou qualquer outro texto que venha ser avaliado – na verdade, há que se escrever corretamente de forma diária, só assim nos sentiremos confortáveis quando formos redigir algo que será avaliado.
(MIM) “Para mim escolher, necessito de tempo”, o certo seria: “Para eu escolher…”, PARA MIM só funcionará quando for objeto direto, ex.: “Traga esta colher para mim”!
(ENTRE MIM E TI ou ENTRE MIM E VOCÊ), nada de sair por aí falando “entre eu e você”!
(VERBO HAVER) Em sentido de tempo decorrido não se necessita acrescentar “atrás” a nenhuma frase. Exemplo do que não deve ser feito: “Há muito tempo atrás, comprei um fusca”; o certo seria: “Há muito tempo, comprei um fusca”!
(VERBO HAVER e VERBO FAZER TEM O MESMO RACIOCÍNIO), É impessoal e portanto fica no singular: Ex.: “houve muitas passeatas”, “Havia pessoas por todo lado”, “Há tempos que não te via”; “Faz cem anos…” e NÃO“Fazem cem anos…”;
(AONDE NO LUGAR DE ONDE). Exemplo de erro: “Aonde você mora”, “Aonde fica sua casa”?, pois AONDE dá ideia de movimento e só deve ser utilizado desta forma: “Aonde iremos agora”; já ONDE fica bem e é correto quando aplicado assim: “Onde você mora”;
(NÃO REPETIR MUITAS PALAVRAS E IDEIAS - pleonasmo);
(ATRAVÉS e POR MEIO) Ex.: do uso correto de através: “Vejo uma bela mulher através da fresta na janela”, ou “Através de uma lente de aumento te vejo como eres”,o sentido aqui visualizado dá ideia de ATRAVESSAR, se for outra use POR MEIO, que, só assim ficará correto. Ex.: “É por meio desta carta que saberás quem sou”; “Fulano de tal vem por meio desta….”. (é aqui que muitos Advogados pecam na escrita da língua);
(IDEIAS) Hoje, após o Acordo Ortográfico (que, finalmente, passará a vigorar em 2016) nossas IDEIAS deixaram de ter aquela “lâmpadazinha” que tinha antes - tornou-se meio sem graça com a retirada do acento agudo no É;
(DESSE, DESTE e ESSE e ESTE, questão aqui é referencial de espaço e tempo): Já se referiu a algo em parágrafos anteriores, até mesmo no parágrafo em que está, todavia já foi falado, escreva (ESSE), por outro lado se ainda vai se referir escreva (ESTE); no mesmo sentido se utilize do (DESSE e DESTE), veja abaixo exemplos:

*quer aprender a escrever corretamente e passar em vestibulares ou concurso - SAIBA MAIS -  AQUI!
Exemplos DESTE:
· Venha aqui e coloque tudo dentro deste recipiente.
· Eu ainda estou falando sobre isso, porque eu ainda não me cansei deste assunto.
Desse é usado quando o que está a ser demonstrado é relativo, pertencente ou está espacialmente próximo da pessoa a quem se fala, longe da pessoa que fala. Também é usado quando o que foi referido está num tempo passado em relação à pessoa que fala, ou seja, que já foi mencionado no discurso.
Exemplos DESSE:
· Por favor, quanto custa o aluguel desse escritório?
· Antes de se ir embora, coloque tudo dentro desse recipiente que está perto de você.
· Ontem falei muito sobre isso com você, mas já estou cansada desse assunto!
· No mês passado? Em que dia desse mês?
Para encerrar, deixando o texto mais leve, postaremos a foto do trecho de uma Petição que nunca deverá ser repetido. 

Primeiro porque explicações não são dadas via inicial e segundo porque culpar os outros de morosidade e incompetência é no mínimo falta de ética, ainda mais quando essa pessoa, na época dos fatos, era apenas a estagiária!
O bom Advogado escreve DIREITO o mnimo para quem fez DIREITO
É por isso que muitos dizem, a brincar ou não, que “a culpa é sempre do estagiário”!

Foto/Créditos: Advogadojunior. Wordspress


19 de setembro de 2015

Brasil, um país sem ideologias políticas, isso só não vê quem não quer!

Em recente publicação pude notar que grande parcela da população está “enlouquecida” com a possibilidade de ter como Presidente da República um senhor de nome Jair Bolsonaro, Deputado Federal pela 6ª vez, representante do eleitor no Estado do Rio de Janeiro, filiado ao Partido Progressista.
Alguns disseram que se ele foi eleito tantas vezes, com milhões de votos é porque é bom! Declarações assim são bastante “conclusivas” e “inteligentes” quando nos recordamos de Sarney; Collor, que apesar de ter sofrido impeachment retornou por cima, como Senador; Lula e Dilma que também foram reeleitos; Paulo Maluf que sempre retorna das “cinzas” e tantos outros (“malas biscas”) que se perpetuam no poder por este Brasil afora.
Todo mundo conhece um político que não “larga do osso”! Esteja ele representando o Estado de origem no Congresso Nacional ou ainda permaneça, “humildemente”, sentado numa das cadeiras das Assembléias Legislativas.
Mas afinal, porque faço essa crítica tão óbvia?
Que culpa tem esses políticos de serem reeleitos vez após vez? A culpa não é deles, é de quem os elege sebendo quem são. É por isso que sempre repito a máxima:“cada povo tem o político que merece!”
O mesmo se passa com Bolsonaro. Pode até não ser corrupto, todavia é intolerante, homofóbico e truculanto; além disso é favorável à tortura – coisa que o partido dele, em tese, não tolera. Basta dar uma olhada na própria página do partido na internet (“sociedade baseada em dignidade humana”, com um representante que descumpre um dos maiores e mais importantes princípios da DUDH) – ora, pois!
Os progressistas na sua já longa história partidária, permanentemente empenhados em contribuir para a construção de um País moderno e de uma sociedade baseada na dignidade humana, e que seja justa, livre, democrática, pluralista, solidária e participativa, fundamentam a sua ação programática nos seguintes valores, princípios e crenças políticas:
I - busca continua do ideário democrático e dos objetivos nacionalistas de seus fundadores em elevar a Nação brasileira a um patamar de desenvolvimento econômico-social que possibilite à sua população uma vida digna e com igualdade de oportunidades para todos os cidadãos;
II - liberdade de culto religioso, garantia da inviolabilidade da privacidade, direito ao trabalho digno, ao salário justo, à moradia, à educação, à saúde, à alimentação, ao lazer, à segurança, bem como o exercício de uma imprensa livre e responsável e à preservação do meio-ambiente;
III - intangibilidade da Federação, harmonia dos poderes e crescente autonomia dos Estados e Municípios;
IV - consecução de um sistema econômico livre, que favoreça a prática das regras de mercado, mas que tenha como objetivo maior o bem-estar dos brasileiros e a eliminação das desigualdades sociais;
V - ação do Estado no campo econômico que leve em conta valores sociais como a criação e a distribuição de riquezas para todos com geração de empregos, renda, poupança, consumo e funcionamento de efetiva economia social de mercado; e,
VI - permanente adaptação para o processo de mudança continuada da sociedade, da economia brasileira e das responsabilidades dos entes federados.
Seguindo esses valores, princípios e crenças políticas, o PP orienta a sua ação programática com a convicção de que para a consolidação do regime democrático no País é necessário a existência de partidos políticos organizados e bem estruturados que garantam a legitimidade e a proporcionalidade da representação política, alicerçada no livre exercício, independente e consciente do voto secreto, na periodicidade dos mandatos, na rotatividade dos partidos no poder, respeitada a pluralidade doutrinária ideológica.
(…)
As raízes mais distantes do PP estão no PSD e nas bases construídas pela Arena e pelo PDS em todo o Brasil. O partido tem como representante mais “ilustre” Paulo Maluf.
Infelizmente, nesse país não podemos nos apresentar na política sem que um partido esteja nos apoiando – há exceções, mas elas são para os militares e magistrados que não podem estar filiados, todavia, mesmo assim, no momento da candidatura deverá ser “apresentado” por um, com declaração feita ao TRE ou TSE, vai depender do cargo que pretende se lançar candidato.

Quanto às ideologias políticas o que pensamos?

Bom, não se precisa de muita inteligência para notar o que se passa por aqui.
O que realmente vigora no Brasil são os conchavos políticos. Participar de uma boa coligação é o mais importante para ganhar as eleições e é isso que importa, até o momento. Esperamos que esse cenário mude!
Não importa se a ideologia partidária seja bem distinta da que “terá que apoiar”, o válido é ganhar, vencer sempre; quando já estiver “dentro”, conseguir mais ministérios ou Diretorias Estatais, especialmente se essas diretorias forem lucrativas e se esses ministérios tiverem importância significativa no cenário nacional – é isso que importa. Ideologia para que, se o bom mesmo é ganhar dinheiro fácil “representando o povo”, tirando dele a possibilidade de ter boa saúde, educação, segurança – mais qualidade de vida!
Esta seria a prova de que o país não tem ideologias políticas: as alianças (união que fazem para fortalecimento da candidatura) formadas.
Veja uma reportagem deO Globo, vinculada em 15/11/2009, via blog do noblat,acerca dos que muitos acreditavam improvável, infelizmente não me surpreendeu:
A eleição presidencial de 1989 foi marcada por agressões e ataques pessoais dos três principais personagens: os candidatos Fernando Collor de Mello (PRN), que seria eleito presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ficou em segundo lugar, e o então presidente da República, José Sarney.
Era ladrão para lá, corrupto para ca e ditador de opereta para acolá. Collor ameaçava pôr os corruptos do governo Sarney na cadeia, se eleito. Sarney processou Collor por injúria e difamação. No calor da campanha, o alagoano xingou Lula de cambalacheiro. Foi eleito e não botou ninguém na cadeia. Acabou ele próprio apeado do cargo após dois anos de poder.
Depois de 20 anos, com Lula na Presidência, os três arqui-inimigos políticos transformaram-se em aliados em torno da base do governo petista, o que surpreendeu até os governistas, mostra reportagem de Gerson Camarotti e Maria Lima, pelo jornal O GLOBO.
As declarações de cada um para justificar a repentina amizade se basearam na alegação de que todos foram alvo de campanhas difamatórias e injustiças. Outra argumentação é que não foram eles que mudaram, mas o tempo e a política. De forma reservada, interlocutores de Lula disseram o que mais mudou nessas duas décadas foram o pragmatismo e a necessidade de governabilidade. Essa é só mais uma desculpa para seguir enganando os incautos que os elegem!
Para encerrar, a maioria que conseguir chegar ao final da leitura (coisa que duvido, de grande parte dos que comentam) perceberá que não sou uma “esquerdola”, tampouco “direitista”, ruralista e/ou falsa progressista. A minha ideologia se baseia na percepção que tenho da honestidade do candidato (é independente de partido político) – infelizmente não estou percebendo nenhum que tenha essa qualidade aqui no Brasil. Quando não é corrupto, é intolerante e se acha a “última bolacha do pacote”, a “salvação da pátria” – coisa que ninguém é!
O que vigora no Brasil é, de fato, o que frisamos, por vezes, no texto: “coligações para êxito nas eleições” – não importa se ontem te chamei de ladrão, e fui responsável pelo teu impeachement, hoje posso até te apoiar, vai depender de quão “lucrativo” seja esse apoio! O país e a população são apenas detalhes que “servem”: o país como algo lucrativo e o povo como “palhaços necessários”!

Obs: Alguns dos comentários que recebi no artigo sobre Bolsonaro e achei interessante compartilhar:

(por E. M. F) A ilustre colega não colocou esta informação em seu artigo: "Com mais de 464 mil votos, Jair Bolsonaro (PP), 59, foi o deputado federal com maior número de votos no Estado do Rio de Janeiro. Ele está na Câmara Federal há seis mandatos consecutivos, ou seja, ocupa há 24 anos a função." Fonte:http://eleicoes.uol.com.br/2014/noticias/2014/10/05/bolsonaro-rjeeleito-deputado-federal-no-rj-comomaior-numero-de-votos.htm
(Ser eleito por várias vezes dá a alguém atestado de bom político – dá sim de esperto, consegue enganar o povo que os elege – é o caso também de Lula, Dilma, Aécio, Sarney e tantos e tantos outros)
(por W. L. B. De C) “Texto com muito juízo de valor. Parece aqueles textos do pessoal de direitos humanos que não defendem os humanos direitos. Em 2018 o meu voto para Presidente será para Jair Bolsonaro! Os comunas piram! Kkkkk!” (esse tem razão, o comentário dele é mesmo engraçado, até eu ri – não sabendo do meu anti-partidárismo, para mim partidos e suas falsas ideologias, todos eles, são descartáveis, se não precisasse de um para se candidatar, até eu me apresentaria)
(Por J. O) “Dra. Elaine, Francamente, a senhora realmente assistiu os vídeos sobre as agressões de Maria do Rosário a Bolsonaro, a qual depois foi posar de vítima, como todo bom esquerdopata indecente faz?
- Sabia da absolvição de Bolsonaro sobre o suposto crime de racismo, cuja base de acusação foi um vídeo editado, cuja responsabilidade é de um sujeito careca, que comandava o CQC. Inclusive está sendo processado por Bolsonaro em ação de reparação de danos e denunciação caluniosa e "otras cositas" mais? Já li um comentário seu dizendo que não é jornalista; que não importa as alegações, pois ele foi condenado pela justiça no caso Maria do Rosário...
Bem, não me parece razoável uma causídica se posicionar assim de forma explicitamente ideológica, já que, claramente Bolsonaro só tem atritos com gente da esquerda”. (o que tem a ver uma pessoa se posicionar dessa ou daquela forma, só porque exrce essa ou àquela profissão – não entendi. Nada a ver isso)
( Por F da V) “Esse cara me representa, conservador, pelo certo, valoriza quem trabalha, e de maneira nenhuma é homofóbico ou intolerante, talvez com ladroes, ai ele e todos os trabalhadores o são. O povo dos mimimis, os comunistas que andam com rolex no pulso, esses tem muito medo de um cidadão que defende quem zela pela família e trabalho ganhe as eleições para presidente”. (para um Progressista ele é conservador até demais – falsas ideologias políticas, é disso que falo).
(por A. D ) “Se ele representa o estado do RJ pela 6ª vez é porque tem qualidade. Votaria nele até para Presidente. Não posso votar para deputado porque meu título é de outro estado. Ele fala o que muitos gostariam de falar. Tem coragem, é honesto e reage à mesma altura em que é provocado. Concordo em gênero, nº e grau as colocações do verdadeiro representante do povo. Parabéns Deputado e Capítão Bolsonaro, continue sempre assim”. (essa sim é uma conclusão inteligente – basta ver os que estão aí, perpetuando no poder)
Autoria: elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B (ao copiar, citar, etc, citar a fonte)
Foto/Créditos: umbrasilcomunista. Blogspot; agazetadigital. Blogspot
ͮ


18 de setembro de 2015

"Airbnb": o Uber dos hotéis, ou seja, dos imóveis por temporada


Há alguns anos, dois ou três, já não me lembro, decidi que iria alugar, "por temporada", o meu apartamento de praia no Ceará.
Fiz algumas pesquisas na internet para ver qual seria a melhor forma, a mais cômoda e claro, a mais vantajosa. Acabei por encontrar alguns meios até isentos de qualquer taxa, alguns bem visitados por possíveis clientes; todavia o mais interessante que vi foi o "Airbnb", uma espécie de "Uber" de hotéis.
Alguns veem como um simples site de aluguel de apartamentos pelo mundo, outros o tem como um aplicativo (exatamente como o "Uber" - só que de hotéis/casas/apartamentos); o que vem gerando algum tipo de incômodo para os empresários do ramo hoteleiro.
Quanto ao meu apartamento decidi que não iria alugar naquele momento e deixei. Todavia a pesquisa me serviu muito. Conheci uma forma de hospedagem pelo mundo todo de forma mais econômica que a convencional.
Pessoas que viajam muito e não tem recursos grandiosos podem, inclusive, alugar quartos dentro das próprias residências; querendo algo mais privado, todavia mais caro, alugue a casa ou o apartamento inteiro por um certo tempo. Existem excelentes imóveis pelo mundo se utilizando dessa ferramenta, é só dar uma "sapeada" no site deles. (eu chamo de site, portal, se for um aplicativo, me desculpe os entendidos),Airbnb.
O problema é que coisas desse tipo podem incomodar muita gente, no caso os incomodados aqui seriam os hoteleiros. Veja uma notícia interessante, sobre o assunto pública pela Istoé.

"Brasil quer que países do Mercosul taxem 'Uber de hotéis'"

O Brasil vai propor aos países do Mercosul a taxação do Airbnb, serviço online de aluguel temporário de imóveis. A ideia será discutida na próxima reunião especial de turismo do grupo, mês que vem, no Paraguai. A proposta tem como objetivo imediato frear a concorrência considerada desleal com os hotéis para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio. A cidade é a que tem maior número de imóveis cadastrados nessa plataforma no País, 20 mil. É a quarta no mundo, atrás de Paris, Nova York e Londres.
Com 45 mil apartamentos, casas e quartos em 22 Estados, o Airbnb vem incomodando o setor hoteleiro desde que chegou ao Brasil, há três anos. “Ninguém quer proibir. O que pleiteamos é a igualdade tributária. O hotel paga água mais cara, IPTU e ISS (Imposto sobre Serviços), e esse tipo de locação, não. Não há uma garantia de segurança para os vizinhos, um contrato formal. Afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Alfredo Lopes.

Interessados em aluguel por temporada click aqui: http://endireitandoasideias.blogspot.com.br/p/aluguel-por-temporada.html  e/ou vide:  https://www.airbnb.com.br  e pesquise por: 

Apartamento na praia do Icarai CE

Fonte: Istoé independente em 18/09/2015 via Estadão e Airbnb
Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B (ao copiar, reproduzir ou citar, indique a fonte)
Foto/Créditos: blogdoruivo. Com. Br


NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner