27 de maio de 2018

Interpretação de texto faz bem e conserva a "amizade"!

ANÚNCIO: ALUGUEL POR TEMPORADA


Alugo apartamento (inteiro) por temporada, na praia de Icaraí - Caucaia - CE (mapa localizador ao lado direito e fotos abaixo deste anúncio).

* 75 reais a diária para até 5 pessoas (EXCETO em alta temporada e feriados longos, que inclua final de semana - neste caso, consultar preço enviando email);

* não aceitamos crianças menores de 12 (exceto as menores de 2 anos e de colo);

*O apartamento é quase completo (FALTA ar condicionado e sinal wi fi);

*Não aceitamos animais de estimação;

*cobramos taxa de limpeza (de também, R$ 75,00) e caução no mesmo valor total das diárias (que fique claro - a caução será devolvida INTEGRALMENTE caso o apartamento esteja igual quando entrou);

*Só alugamos para 5 diárias ou MAIS;

* Não é hotel, e nem moramos próximos ao apto - logo, não podemos oferecer toalhas, roupa de cama e produtos de higiene pessoal (alugamos o apartamento com os móveis - o resto é por conta do hóspede);

OBS.: pessoas em cadeira de rodas, dificuldade de locomoção ou MUITO idosas não é recomendável (pois, não há elevador e está no 3º andar - 4º piso).

*Alugamos o apartamento inteiro por vez - mesmo que seja apenas 1 pessoa o valor da diária é o mesmo que para 5 pessoas.

*O referido apartamento também está para alugar por longas temporadas (de até 3 meses); neste caso, consultar preço mensal.
____________________________________________


PESSOAS QUERENDO ALUGAR:


  1. Eu queria ficar só dois dias, quanto você faz?
  2. Você tem ar condicionado em todos os quartos?
  3. Você podia mandar fotos - quero ver como são as camas?
  4. Olá, somos 4 adultos e 1 criança de 6 anos - daria para fazer um preço melhor?
  5. Quanto?
  6. Um dia só é quanto? 
  7. Final de semana é quanto?
  8. Eu só queria 1 quarto e quase não vou parar em casa (só vou dormir); quanto faz nesse caso?
  9. Onde fica isso? Moro em Fortaleza.

No Brasil não é fácil vender nem alugar coisas; pois, por mais que você detalhe (explique) o anúncio, ainda receberá pergunta idiota (isso me faz lembrar do personagem: "pergunta idiota, tolerância zero"). Ou quiçá eu não esteja feita para ser vendedora (rsrsr, só pode!).

Qual a dificuldade de entender um anúncio do tipo acima? Só pode ser falta leitura ou uma certa noção de interpretação básica.

Há pessoas que tem a loucura de enviar mensagem para perguntar quanto? Aí fico me indagando: quanto o que? A diária? Dez diárias? O natal? O Revellión?

- Custa especificar? Afinal, o quanto ($$) já foi especificado no anúncio; ou seja: é 75 reais a diária para até 5 pessoas e por no mínimo 5 dias. Para responder a esse simples e insignificante 

QUANTO, eu preciso saber a que ele se refere - certo?

Escrita
Leitura e Escrita

Outros ficam indagando o porquê de alugar só para mais de 5 dias. Assim, quem acaba ficando com dúvida sou eu: se o apartamento é meu, alugo por quanto tempo eu quero e POSSO. Já pensaram que poderia não compeçar, abrir e limpar uma casa por uma diária de apenas 2 ou 3 dias? Outra coisa. Já pensaram que o proprietário não vive próximo e que outros administram o imóvel (entrega de chaves e vistoria)? Acha mesmo que menos de 5 dias de diária compensaria abrir, limpar, ir para entregar chaves e ir para recebê-las de volta? Pensando em todas as despesas que tenho, mesmo 5 dias é bem insignificante para mim. Talvez até mude as regras (rsrsr).

Por favor gente - sempre há um motivo para uma regra - ou regras! Não dá para questionar isso; quando a coisa não encaixar na sua regra, procure alternativas em outro lugar - simples assim!

Quando escrevia esse texto me lembrei de um que li no facebook (post); desses que giram por aí - falava mais ou menos assim: 
Boa tarde a todos do grupo de estudos - ATENÇÃO!**
Hoje (terça-feira), a partir das 17 horas, estarei em frente a Universidade (no portão principal) vendendo os brigadeiros que vocês tanto gostam (ficarei até vender todos).
*O valor é de R$ 0,50 (cinquenta centavos) cada brigadeiro independentemente do sabor;
*Terei APENAS de chocolate puro; de chocolate com recheio de uva ou de morango.
*Não aceito vale transporte.

RESPOSTAS DO GRUPO

*Você tem de abacaxi?
*Quanto custa cada?
*Que horas você chega?
*Eu queria de chocolate branco.
*Posso te pagar outro dia ou com vale transporte?
*Onde te acho - que local estará?
**(A mensagem em questão deve ser alguém que faz parte de algum grupo de "estudo" do whatsApp - por isso cumprimentou dizendo: "olá a todos do grupo" - são pessoas que, em tese, se conhecem - logo, mais detalhes sobre, que Universidade seria essa, é desnecessário - mesmo assim, gerou esse monte de pergunta tola e repetitiva). Creio que uma coisa dessa só pode ser brincadeira ou comédia, visando ironizar os mal interpretadores de texto.

Aproveito para indicar um artigo meu sobre falácias argumentativas - tem muito a ver com interpretação (muito?? Não - quase tudo a ver e é super, mega interessante - modéstia à parte). O link número 2 é de nosso antigo perfil no JusBrasil).


2

Por Elane F. de Souza (ADV. , articulista e administradora dos Blogs. Divulgando Direitos e Diário de Conteúdo Jurídico).




24 de maio de 2018

Chroma Key caseiro, editado com Filmora (teste)

Durante algum tempo pesquisei a edição de vídeos no youtube; foi assim a que acabei conhecendo o Filmora - aproveitei a ocasião para baixá-lo na versão grátis - baixei, testei e gostei muito da facilidade que o editor proporciona; com ele, até uma "fraquinha" (inexperiente como eu) nessa coisa de edição e elaboração de vídeos, consegue fazer alguma coisa legal. 

Confesso que só não fiz um melhor teste porque, de momento, estou sem os "apetrechos" adequados (não tenho microfone, atualmente o som do meu computador está ruim e só agora adquiri o tecido verde limão para usá-lo como Chroma Key).

Para falar a verdade, a falta de tudo que citei é um pouco "lerdeza" da minha parte. Já poderia ter de tudo mas fui postergando até chegar o dia de hoje.

Mexendo e remexendo no editor gratuito (FILMORA) acabei me entusiasmando e adquiri a versão paga. Agora, quer queira quer não, terei que adquirir outros produtos (fone, microfone, iluminação, etc) só para ter condição de fazer um vídeo que seja verdadeiramente útil para os expectadores....; este, em tese, é apenas um teste, algo bem "caseirinho", mesmo!



CASO SE INTERESSE EM SABER COMO FIZ, CONTINUE A LEITURA:

*Comprei um tecido verde limão de nome M.Cacharrel NEWFIO 1; de 1.80m por  2.0m (vendiam por quilo - é tipo malha, estica um pouco);

Tecido para chroma Key


*Como estava (e estou) na fase de teste preferi pendurá-lo no meu guarda roupa que é bem alto. Na parte de baixo fiz uma pequena "gambiarra". Estiquei bastante e prendi com um durex; mas é claro que não ficou 100% (creio que não ficou nem 60% bom...kkkk), mas era o que podia fazer de momento, já que não queria furar a minha parede lisinha (rsrs).

*O problema que tive foi com a iluminação e o "esticamento" do tecido.  As rugas laterais dificultaram a edição pois provocaram sombras franzidas, sem falar na pouca claridade do ambiente escolhido.

*Moro em um local que fica em frente a uma avenida super movimentada (em uma metrópole); por isso tive que escolher o ambiente mais silencioso; entretanto, o mais silencioso era o quarto e este também é o mais escuro (e como já disse não tinha e, ainda não tenho, iluminação especial).

*Na internet há muitos bancos de imagens e vídeos grátis.  Não dá para baixar em qualquer lugar por causa dos direitos autorais.   Vá até um banco de imagens desses (grátis - como pixabay - lá tem imagens e vídeos totalmente grátis e sem direitos autorais). É o que mais uso nos meus artigos e agora nos vídeos.

CONSELHOS PARA FAZER UM VÍDEO COM  CHROMA KEY

*Se não tem os os "apetrechos citados" escolha um local bem iluminado e silencioso;

*Para colocar fundo nos vídeos é mesmo necessário gravar com o Chroma Key - falando sério, isso não é caro (compre o tecido que comprei em uma loja de tecidos e tá passando de bom).

*Microfone também não é caro (MENTIRA, alguns SIM, e muito....rsrs); mas existem uns que já melhoram bastante o som (não ficará com voz de "taquera rachada" como eu fiquei nesse que não usei microfone); o meu está vindo dos EUA, com meu marido que foi às compras.  Felizmente, existem uns de até 15 reais na internet e nos grupos de compra e venda do facebook.

*Quando for gravar use o celular (uma filmadora) ou o próprio computador, diretamente do gravador de mídia do FILMORA - foi assim que fiz e não me arrependo.  Mesmo quando estiver com o Microfone e uma iluminação boa eu o farei diretamente do FILMORA na versão nova que é o 8.0.

Por Elane F. de Souza (Advogada, Autora e articulista deste e de outros Blogs: DCJ e Divulgando Direitos)







23 de maio de 2018

Existe algo de muito PODRE no seio familiar!

Digam o que disserem, discordem o quanto quiserem - não me importo pois sei que, por mais que doa, muito do afirmado no título é certo. No decorrer deste texto pretendo demonstrar que o que digo, é real; no final muitos entenderão, outros, no entanto, seguirão com suas vidas hipócritas!

Por "amor" se casa, pelo menos em tese!

Por "amor" também se mata; é o que dizem alguns quando tem a vida "destroçada" por um relacionamento rompido, especialmente quando trocado por outro(a).

Por "amor" se persegue, se atormenta e se "encarcera"! 

Por amor se morre para salvar a vida do outro - geralmente, no caso de pais para com filhos!

Por amor se move montanhas só para conseguir que o outro seja feliz - não importa quem tenha que "matar", ou, no mínimo passar "por cima"! 

Um pai (ou mãe), para salvar a vida de um filho amado, é previsível - experimente perguntar a um sobre, quem preferia salvar: "o filho que está afogando no lago, ou, como bombeiro (de profissão), apagar um incêndio, e salvar dezenas de vidas"?  Mesmo tendo um dever funcional de salvar vidas, se tiver que escolher, escolherá o filho (uma única vida)!

Ahhh, o amor, como é lindo!

Por outro lado, há certas discrepâncias nas famílias!

A minha, por exemplo, funciona assim:

Todos os integrantes dizem se amar muito - NO ENTANTO, a maioria não dá valor, não reconhece o que os membros fazem e sequer dão força!  

dentro de casa
Família em casa


Preferem valorar o vizinho, o amigo, um desconhecido qualquer, que o próprio integrante da família (mas ainda estou falando da minha); nesse sentido, não sei como funciona a família do restante da população, se se assemelham ou não com a minha!  

Vou dizer uma coisa: isso frustra e até dói bastante!

Você se esforça, faz tudo que pode na vida e os membros da sua família, que deviam ser os primeiros a te apoiar, preferem valorar um desconhecido qualquer, que faz a mesma coisa que você!  Dá impressão que preferem ver você na merda, igual eles! Deve ser o medo de você se destacar e eles não!

Vejam só: fazia parte de um grupo familiar de whatsApp (nem sei porque entrei naquilo - nem gosto de whatsApp, que dirá em grupo); o telefone tocava o tempo todo com besteira, acabei cansando daquilo e pedi para sair, sem rancor! Nunca vi tanta coisa inútil sendo compartilhada, um verdadeiro "pé no saco", que ainda não descobri o propósito...enfim...

O que quero dizer com isso é o seguinte: todos lá sabiam (e sabem) que tenho blogs e uma página oficial no facebook para compartilhar assuntos relacionados ao Direito e/ou Cotidiano. 

Agora me perguntem: algum dia, alguém, desse referido grupo entrou em minha página do face, ou em 1 de meus blogs, na vida??? E não e estou falando de curtir e seguir não (isso já seria pedir demais); estou falando do simples entrar e ler um ou outro artigo de vez em quando (ou raramente, que fosse)!

Não, né? Preferem encher a time line do celular ou computador da gente com conteúdo alheio (de quem nunca viu na vida) do que dar uma força para o parente que diz amar tanto!  

TRISTE, isso!

Ninguém está pedindo para o parente gostar do que escreve ou faz em um blog (ou canal de youtube); o que a gente quer é consideração e uma forcinha. Todo blogueiro e vlogueiro busca curtidas, comentários, seguidores e compartilhamento de seus conteúdos.  Se a tua própria família não faz isso, o que esperar dos demais e do teu futuro, como blogueiro? 

Dá vontade de desistir, só não o faço  porque tenho pessoas desconhecidas que me dão valor.

No meu caso e dos meus parentes: eles não precisavam gostar e se interessar pelo Direito (que é sobre o que escrevo); mas eu certamente esperava e tinha esperança, que gostassem de mim - que desejassem o melhor para mim! Se me seguissem e compartilhassem o que escrevo o conteúdo chegaria aos amigos deles; assim, muito mais pessoas acabaria lendo.

Mas acho que isso é como àquele ditado antigo: "Santo de casa não faz milagre"!

Isso que acabo de "despejar" não se parece em nada com o modelo que "pintei", de família, não é verdade?

 - Famílias são pessoas que se amam acima de tudo??

Acho que não!  Afinal, se matam e quando não, travam entre si competições como essas que acabamos de citar!

Além dos meus blogs voltei a escrever no JusBrasil, tenho um novo perfil; com apenas 2 meses, mais de 150 seguidores e 55 artigos (essa proeza, LÁ, é difícil conseguir em tão pouco tempo - tem gente que está escrevendo há anos e não conseguiu 100 seguidores).  Quando saí do Portal (em 2015) estava com quase 900 seguidores e mais de 200 artigos. Essa quantidade de seguidores e de artigo escrito, no JusBrasil, é muitaaaa coisa; afinal, são centenas, quiçá, milhares de articulistas (autores) publicando; muitos deles, diariamente!

https://diariodeconteudojuridico.jusbrasil.com.br/

Sem falar que, grande parte das vezes que publico, os meus artigos vão para a Newslleter (só os melhores, mais clicados, lidos e compartilhados do dia, vão).

Resumindo: 

O que há com que escrevo?  Por que as outras pessoas gostam e meus familiares não dão a mínima?

Sobre família, certo está meu marido - com tudo que já me disse sobre a instituição familiar, inspirou-me a escrever o livro que denominei: "A Filosofia do Senhor X" (estou a terminá-lo, em breve publicarei em formato e-Book e capa mole).

Enfim, tudo isso acabou sendo um desabafo - e realmente era para ser!

Abraço a todos que conseguiram chegar até aqui!

Obs.: e sobre tudo que falei, há exceção (ainda bem - imagine que não? Estaríamos perdidos.).

Por Elane F. de Souza (ADV., Blogueira e Articulista de seus Blogs e JusBrasil).
Imagem/crédito: pixabay 

8 de maio de 2018

Depressão e Ansiedade: como controlar?

Sou um turbilhão de emoções; às vezes me bate uma baita euforia, uma súbita sensação de felicidade toma conta de mim; nesses momentos tenho ânimo para tudo, faço, inclusive muitos planos; em outros, sou exatamente o contrário.    Nada importa, a vida não vale a pena, para que fazer planos?

Ultimamente, foram nesses momentos de euforia que ainda consegui realizar alguma coisa. Infelizmente, tudo foi feito aos poucos, até porque as sensações de PODER e fortaleza são intercaladas com as de baixa estima, falta de chão e de perspectivas futuras.

Depressão: escrevendo para esquecer

Passo os dias trabalhando em meus "pequenos projetos".  Escrevo para um site jurídico pelo menos uma vez por semana e para os meus próprios blogs (que são três).

Como consegui mantê-los no ar com publicações relativamente regulares?   Não sei.  Busquei inspiração em todo meu ser e passei os dias sentada diante de um computador.

Claro que essa postura (de passar os dias sentada diante de um computador) não é nada saudável - mas, para mim, pior que isso é ter que me arrumar para sair e ficar fora de casa.  Estar fora de casa e receber pessoas é algo que estou sempre postergando. Não gosto de fazer nem receber chamadas telefônica; odeio fazer parte de grupos e receber qualquer mensagem de whatApp - faço poucas amizades porque tenho medo das pessoas quererem me visitar ou fazer parte do meu dia a dia, que é SÓ MEU!
Uma das coisas que posso dizer que gosto muito é de ficar sozinha, de ficar comigo mesma.  Quando o ânimo aparece ainda dou uma volta na praia e me estico um bocado em casa ou no calçadão diante do mar.  Nesses dias, que consigo fazer isso, sinto-me fantástica, renovada!   É nessa hora que faço vários planos; inclusive de sair mais vezes, caminhar na praia, ver o mundo lá fora!

Estando em casa não vejo TV porque já não gosto, não ouço mais música porque só gosto das românticas e clássicas; essas, geralmente são tristes -  é só  ligar e chorar, por isso evito!

O que faço para passar o tempo quando não estou escrevendo no computador?

- Vejo filmes e séries.  Sou "viciada" em séries e nos filmes! Os meus filmes favoritos são os de comédia, os épicos, os de catástrofes, os dramas, os de TERROR, enfim, quase todos!  Ahhh, menos os baseados em fatos reais; não gosto de drama, muito menos tragédia real em filme.....; já me basta saber que existem ou existiram!

Outra coisa que gosto bastante é de viajar - conhecer lugares e coisas novas. Comer e desfrutar de novas paisagens naturais, monumentos históricos e prédios antigos.  Os palácios, Monastérios e muralhas da Europa me encantam.  Lamentavelmente, nem sempre se pode dar ao luxo de fazer viagens assim!


49 anos de depressão e ansiedade

A vida não é fácil para ninguém; mas não é um lamento, é uma constatação, é natural que ela seja mais difícil para uns que para outros - seria inconveniente que fosse às mil maravilhas para todos!

Não devo, nem posso ficar me lamentando, diuturnamente, por ter depressão, até porque tem gente que tem uma deficiência desde sempre, outros têm diabete desde sempre, outros têm déficit cognitivo, outros - síndrome de Down; outros cegueira, outros surdez, outros lábios leporinos e minha sobrinha esclerose tuberosa, epilepsia e autismo - nunca andou e nunca falou e lá se vão 20 anos de nascida, apenas deitada ou sentada em uma cama (ela e sua mãe, minha irmã, seguramente tem uma vida bem mais sofrida que a minha com depressão).
  
Dizem que não se pode comparar nenhuma doença e situação com outra, mas não sei porque, não consigo evitar - sempre faço isso!  

Sempre que me vejo no fundo do poço, em meio à escuridão da angústia, ansiedade, síndrome de pânico e falta de perspectiva penso em minha irmã e sua filha que é quase um "vegetal"! 

É isso que ainda me dá ânimo, saber que tem gente muito próxima a mim que sofre muito mais que eu e vive - como eu poderia "jogar a toalha" tendo essa pessoa como exemplo de perseverança e força para me inspirar?

Para permanecer viva, a cada dia, busco força nas pessoas que mais amo!  Vivendo como vivo, ainda consegui me formar em Direito, tirar a carteira da ordem e advogar alguns anos; fazer uma pós em Direito de Família e estar em meio à outra (batalhando para terminar).

Além disso, recentemente escrevi 3 e-Books e publiquei.  Dois na Hotmart para venda e um na Amazon.  

São livros digitais (podem ser lidos em tablets, smartfones, computadores, leptops, PC, notbook e qualquer outro que se consiga ler documento em PDF). 

*1 com 38 páginas -  neste falo de um assunto de Direito de Família (Poliamor e os direitos envolvidos); 

*Outro, com 43 páginas, falo de Depressão (como vivo e como consigo superá-la a cada dia; há também alguns conselhos de como "sobrevir" e até produzir algo bom estando com com ela).  

*Por último, 1 de 60 páginas sobre imigração para Portugal - neste conto minha experiência imigrando, "turistando", estudando e trabalhando). Muitas dicas para viver em Portugal.

Enfim, apesar de já ter vivido "supostamente" meus 48/9 com depressão desejaria, imensamente, que o restante fosse diferente; afinal, é angustiante estar permanentemente sem ânimo, angustiada e pesarosa da vida sem ter nada aparente que seja digno de "pesar"!

Por Elane F. Souza (ao copiar e redistribuir, cite a fonte)

*Serviço Social para concursos AQUI!

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner