23 de maio de 2018

Existe algo de muito PODRE no seio familiar!

Digam o que disserem, discordem o quanto quiserem - não me importo pois sei que, por mais que doa, muito do afirmado no título é certo. No decorrer deste texto pretendo demonstrar que o que digo, é real; no final muitos entenderão, outros, no entanto, seguirão com suas vidas hipócritas!

Por "amor" se casa, pelo menos em tese!

Por "amor" também se mata; é o que dizem alguns quando tem a vida "destroçada" por um relacionamento rompido, especialmente quando trocado por outro(a).

Por "amor" se persegue, se atormenta e se "encarcera"! 

Por amor se morre para salvar a vida do outro - geralmente, no caso de pais para com filhos!

Por amor se move montanhas só para conseguir que o outro seja feliz - não importa quem tenha que "matar", ou, no mínimo passar "por cima"! 

Um pai (ou mãe), para salvar a vida de um filho amado, é previsível - experimente perguntar a um sobre, quem preferia salvar: "o filho que está afogando no lago, ou, como bombeiro (de profissão), apagar um incêndio, e salvar dezenas de vidas"?  Mesmo tendo um dever funcional de salvar vidas, se tiver que escolher, escolherá o filho (uma única vida)!

Ahhh, o amor, como é lindo!

Por outro lado, há certas discrepâncias nas famílias!

A minha, por exemplo, funciona assim:

Todos os integrantes dizem se amar muito - NO ENTANTO, a maioria não dá valor, não reconhece o que os membros fazem e sequer dão força!  

dentro de casa
Família em casa


Preferem valorar o vizinho, o amigo, um desconhecido qualquer, que o próprio integrante da família (mas ainda estou falando da minha); nesse sentido, não sei como funciona a família do restante da população, se se assemelham ou não com a minha!  

Vou dizer uma coisa: isso frustra e até dói bastante!

Você se esforça, faz tudo que pode na vida e os membros da sua família, que deviam ser os primeiros a te apoiar, preferem valorar um desconhecido qualquer, que faz a mesma coisa que você!  Dá impressão que preferem ver você na merda, igual eles! Deve ser o medo de você se destacar e eles não!

Vejam só: fazia parte de um grupo familiar de whatsApp (nem sei porque entrei naquilo - nem gosto de whatsApp, que dirá em grupo); o telefone tocava o tempo todo com besteira, acabei cansando daquilo e pedi para sair, sem rancor! Nunca vi tanta coisa inútil sendo compartilhada, um verdadeiro "pé no saco", que ainda não descobri o propósito...enfim...

O que quero dizer com isso é o seguinte: todos lá sabiam (e sabem) que tenho blogs e uma página oficial no facebook para compartilhar assuntos relacionados ao Direito e/ou Cotidiano. 

Agora me perguntem: algum dia, alguém, desse referido grupo entrou em minha página do face, ou em 1 de meus blogs, na vida??? E não e estou falando de curtir e seguir não (isso já seria pedir demais); estou falando do simples entrar e ler um ou outro artigo de vez em quando (ou raramente, que fosse)!

Não, né? Preferem encher a time line do celular ou computador da gente com conteúdo alheio (de quem nunca viu na vida) do que dar uma força para o parente que diz amar tanto!  

TRISTE, isso!

Ninguém está pedindo para o parente gostar do que escreve ou faz em um blog (ou canal de youtube); o que a gente quer é consideração e uma forcinha. Todo blogueiro e vlogueiro busca curtidas, comentários, seguidores e compartilhamento de seus conteúdos.  Se a tua própria família não faz isso, o que esperar dos demais e do teu futuro, como blogueiro? 

Dá vontade de desistir, só não o faço  porque tenho pessoas desconhecidas que me dão valor.

No meu caso e dos meus parentes: eles não precisavam gostar e se interessar pelo Direito (que é sobre o que escrevo); mas eu certamente esperava e tinha esperança, que gostassem de mim - que desejassem o melhor para mim! Se me seguissem e compartilhassem o que escrevo o conteúdo chegaria aos amigos deles; assim, muito mais pessoas acabaria lendo.

Mas acho que isso é como àquele ditado antigo: "Santo de casa não faz milagre"!

Isso que acabo de "despejar" não se parece em nada com o modelo que "pintei", de família, não é verdade?

 - Famílias são pessoas que se amam acima de tudo??

Acho que não!  Afinal, se matam e quando não, travam entre si competições como essas que acabamos de citar!

Além dos meus blogs voltei a escrever no JusBrasil, tenho um novo perfil; com apenas 2 meses, mais de 150 seguidores e 55 artigos (essa proeza, LÁ, é difícil conseguir em tão pouco tempo - tem gente que está escrevendo há anos e não conseguiu 100 seguidores).  Quando saí do Portal (em 2015) estava com quase 900 seguidores e mais de 200 artigos. Essa quantidade de seguidores e de artigo escrito, no JusBrasil, é muitaaaa coisa; afinal, são centenas, quiçá, milhares de articulistas (autores) publicando; muitos deles, diariamente!

https://diariodeconteudojuridico.jusbrasil.com.br/

Sem falar que, grande parte das vezes que publico, os meus artigos vão para a Newslleter (só os melhores, mais clicados, lidos e compartilhados do dia, vão).

Resumindo: 

O que há com que escrevo?  Por que as outras pessoas gostam e meus familiares não dão a mínima?

Sobre família, certo está meu marido - com tudo que já me disse sobre a instituição familiar, inspirou-me a escrever o livro que denominei: "A Filosofia do Senhor X" (estou a terminá-lo, em breve publicarei em formato e-Book e capa mole).

Enfim, tudo isso acabou sendo um desabafo - e realmente era para ser!

Abraço a todos que conseguiram chegar até aqui!

Obs.: e sobre tudo que falei, há exceção (ainda bem - imagine que não? Estaríamos perdidos.).

Por Elane F. de Souza (ADV., Blogueira e Articulista de seus Blogs e JusBrasil).
Imagem/crédito: pixabay 
Postar um comentário

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner