8 de maio de 2018

Depressão e Ansiedade: como controlar?

Sou um turbilhão de emoções; às vezes me bate uma baita euforia, uma súbita sensação de felicidade toma conta de mim; nesses momentos tenho ânimo para tudo, faço, inclusive muitos planos; em outros, sou exatamente o contrário.    Nada importa, a vida não vale a pena, para que fazer planos?

Ultimamente, foram nesses momentos de euforia que ainda consegui realizar alguma coisa. Infelizmente, tudo foi feito aos poucos, até porque as sensações de PODER e fortaleza são intercaladas com as de baixa estima, falta de chão e de perspectivas futuras.

Depressão: escrevendo para esquecer

Passo os dias trabalhando em meus "pequenos projetos".  Escrevo para um site jurídico pelo menos uma vez por semana e para os meus próprios blogs (que são três).

Como consegui mantê-los no ar com publicações relativamente regulares?   Não sei.  Busquei inspiração em todo meu ser e passei os dias sentada diante de um computador.

Claro que essa postura (de passar os dias sentada diante de um computador) não é nada saudável - mas, para mim, pior que isso é ter que me arrumar para sair e ficar fora de casa.  Estar fora de casa e receber pessoas é algo que estou sempre postergando. Não gosto de fazer nem receber chamadas telefônica; odeio fazer parte de grupos e receber qualquer mensagem de whatApp - faço poucas amizades porque tenho medo das pessoas quererem me visitar ou fazer parte do meu dia a dia, que é SÓ MEU!
Uma das coisas que posso dizer que gosto muito é de ficar sozinha, de ficar comigo mesma.  Quando o ânimo aparece ainda dou uma volta na praia e me estico um bocado em casa ou no calçadão diante do mar.  Nesses dias, que consigo fazer isso, sinto-me fantástica, renovada!   É nessa hora que faço vários planos; inclusive de sair mais vezes, caminhar na praia, ver o mundo lá fora!

Estando em casa não vejo TV porque já não gosto, não ouço mais música porque só gosto das românticas e clássicas; essas, geralmente são tristes -  é só  ligar e chorar, por isso evito!

O que faço para passar o tempo quando não estou escrevendo no computador?

- Vejo filmes e séries.  Sou "viciada" em séries e nos filmes! Os meus filmes favoritos são os de comédia, os épicos, os de catástrofes, os dramas, os de TERROR, enfim, quase todos!  Ahhh, menos os baseados em fatos reais; não gosto de drama, muito menos tragédia real em filme.....; já me basta saber que existem ou existiram!

Outra coisa que gosto bastante é de viajar - conhecer lugares e coisas novas. Comer e desfrutar de novas paisagens naturais, monumentos históricos e prédios antigos.  Os palácios, Monastérios e muralhas da Europa me encantam.  Lamentavelmente, nem sempre se pode dar ao luxo de fazer viagens assim!


49 anos de depressão e ansiedade

A vida não é fácil para ninguém; mas não é um lamento, é uma constatação, é natural que ela seja mais difícil para uns que para outros - seria inconveniente que fosse às mil maravilhas para todos!

Não devo, nem posso ficar me lamentando, diuturnamente, por ter depressão, até porque tem gente que tem uma deficiência desde sempre, outros têm diabete desde sempre, outros têm déficit cognitivo, outros - síndrome de Down; outros cegueira, outros surdez, outros lábios leporinos e minha sobrinha esclerose tuberosa, epilepsia e autismo - nunca andou e nunca falou e lá se vão 20 anos de nascida, apenas deitada ou sentada em uma cama (ela e sua mãe, minha irmã, seguramente tem uma vida bem mais sofrida que a minha com depressão).
  
Dizem que não se pode comparar nenhuma doença e situação com outra, mas não sei porque, não consigo evitar - sempre faço isso!  

Sempre que me vejo no fundo do poço, em meio à escuridão da angústia, ansiedade, síndrome de pânico e falta de perspectiva penso em minha irmã e sua filha que é quase um "vegetal"! 

É isso que ainda me dá ânimo, saber que tem gente muito próxima a mim que sofre muito mais que eu e vive - como eu poderia "jogar a toalha" tendo essa pessoa como exemplo de perseverança e força para me inspirar?

Para permanecer viva, a cada dia, busco força nas pessoas que mais amo!  Vivendo como vivo, ainda consegui me formar em Direito, tirar a carteira da ordem e advogar alguns anos; fazer uma pós em Direito de Família e estar em meio à outra (batalhando para terminar).

Além disso, recentemente escrevi 3 e-Books e publiquei.  Dois na Hotmart para venda e um na Amazon.  

São livros digitais (podem ser lidos em tablets, smartfones, computadores, leptops, PC, notbook e qualquer outro que se consiga ler documento em PDF). 

*1 com 38 páginas -  neste falo de um assunto de Direito de Família (Poliamor e os direitos envolvidos); 

*Outro, com 43 páginas, falo de Depressão (como vivo e como consigo superá-la a cada dia; há também alguns conselhos de como "sobrevir" e até produzir algo bom estando com com ela).  

*Por último, 1 de 60 páginas sobre imigração para Portugal - neste conto minha experiência imigrando, "turistando", estudando e trabalhando). Muitas dicas para viver em Portugal.

Enfim, apesar de já ter vivido "supostamente" meus 48/9 com depressão desejaria, imensamente, que o restante fosse diferente; afinal, é angustiante estar permanentemente sem ânimo, angustiada e pesarosa da vida sem ter nada aparente que seja digno de "pesar"!

Por Elane F. Souza (ao copiar e redistribuir, cite a fonte)

*Serviço Social para concursos AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário ou envie uma pergunta

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner