22 de fevereiro de 2017

POMPOARISMO: a arte de dar e receber prazer sexual

POMPOARISMO: uma palavra que nasceu do verbo pompoar e significa "contrair" os músculos pubococcígeos - músculos PC e da vagina.  

A técnica e a palavra pompoarismo foram criadas na Índia mas posteriormente se espalhou pelo Japão e Tailândia.  No Japão teve grande sucesso com as Gueixas; já na Tailândia até as mães tinham o costume ensinar suas filhas, ainda na pré-adolescência, a controlar os músculos vaginais.

Essas meninas Tailândezas quando cresciam adquiriam tanto controle dos músculos vaginais que algumas delas partiam para apresentações noturnas, onde conseguiam fumar e jogar bolinhas usando apenas a vagina.

Muitos podem estar pensando que o pompoarismo se resume a algo feminino, que só as mulheres podem e conseguem praticá-lo - SÓ QUE NÃO!

O pompoarismo pode, e bem, ser praticado por eles (pelos homens). Nesse caso a musculatura é ativada de forma distinta mas também funciona; dá prazer a ele e a elas da mesma forma que uma mulher daria ao saber controlar a técnica!

No Brasil o pompoarismo chegou por volta dos anos 70; todavia, naquela época, apenas os prostíbulos ou casas especializadas em sexo tinham conhecimento do assunto - mesmo assim, poucas mulheres praticavam; homens, menos ainda!

Hoje, felizmente o assunto sobressai na internet e até na TV, com isso muita gente quer saber do que se trata, como funciona e se funciona....

Por experiência própria digo -  FUNCIONA...meu marido já fez; no entanto, sou apenas "aprendiz"!

Além de todos os benefícios sexuais, ainda existem benefícios para a saúde da mulher!

Protege a mulher de uma possível flacidez vaginal, causada pelo envelhecimento ou gestações. Previne doenças como incontinência urinária e cólicas e até melhora a lubrificação vaginal na menopausa. 

As vantagens são milhares: os movimentos do pompoar transformam a vida sexual de qualquer casal! 

Por tudo isso é que INDICO um curso chamado POMPOARISMO: a arte dos prazeres intensos.

Ao adquirí-lo você irá ganhar 3 bônus que irão melhorar MUITO seu relacionamento: 
Bônus 1 - Danças Sensuais - Chair Dance, Strep Tease e Lap Dance 
Bônus 2 - Pompoarismo para homens 
Bônus 3 - Kama Sutra (algumas posições)

*Por Elane F. de Souza (Autora e Administradora deste Blog) com colaboração do curso: POMPOARISMO: a arte dos prazeres intensos.

14 de fevereiro de 2017

Sem limites!

Tema do filme americano (original do inglês Limitless), Sem Limites retrata uma questão que bem poderia ser real caso uma droga igual a do longa metragem viesse a ser elaborada (e nem precisaria estar à venda).

Não é um filme apaixonante, muito menos envolvente; na verdade demorei 3 dias para conseguir vê-lo por completo (geralmente quando tenho muito o que fazer assisto filmes assim - aos "pedaços")

Apesar disso não deixa de ser interessante; inclusive, muitos no youtube o consideraram excepcional, fantástico; já eu, na verdade o considero de "utilidade pública"!

- Mas, por que de utilidade pública?

- Porque, todo e qualquer assunto que envolva droga deve ser discutido e repetido as vezes que forem necessárias, mesmo que essa droga não cause, a curto prazo, efeitos devastadores - pelo contrário, traga benefícios extremos como foram os do filme; no entanto, como toda e qualquer droga seus efeitos mais tardios serão devastadores e na maioria das vezes sem volta.  É por isso que o referido assunto não deve ser esquecido.  

Quando se tratar de um filme melhor ainda pois o que se verá na tela serão os "retratos", quase fiéis, das pessoas que se tornaram dependentes.  

Quem não se lembra do premiado papel que a Brasileira Grazi Massafera fez em "Verdades Secretas" onde interpretava a modelo Larissa que, na metade da série, se torna viciada no Crack?   Pois é, quem olha para ela na série, antes das drogas, nunca imaginaria a Larissa depois, já com o "crack no corpo"!  
Na maioria das vezes o crack já causa dependência no primeiro uso
reprodução TV Globo (do site saude.ig)
Mas isso é apenas faz de conta de um filme, uma série, uma novela, sei lá!   Então tá, experimente fazer o que fizeram os personagens Larissa (Grazi) e Eddie Morra (Bradley Cooper, do Sem Limites) e veja no que se transformará sua vida!?  Nunca mais serás o mesmo; se não morrer pela droga e/ou pela depressão morrerás por alguma enfermidade que surgirá em decorrência do uso delas!

Não pretendo ser uma estraga prazer contando o filme  -  apenas vim recomendá-lo como sendo algo de grande importância para a sociedade!  Nunca se esqueçam: tudo que é bom demais alguma coisa de ruim há por detrás - assim é com comida, assim é com tudo!   

Uma droga "estupenda" como a do filme não seria diferente - basta ver o que acontece com os personagens.




CURIOSIDADE: Você sabia que os piores alimentos industrializados são os mais viciantes e portanto os mais gostosos? Por isso o ditado: "tudo que é bom é ruim - bom para a boca, ruim para o corpo"!  Engordam, provocam diabetes, entopem veias, etc

Exemplo dos piores alimentos: Sorvete, refrigerante, batata frita de saquinho e a normal da panela, cachorro quente, pizza, embutidos em geral, açúcar, bolacha recheada; isso sem falar no cigarro e na maconha, etc.

Mas, retornando ao assunto chave do texto, ACONSELHAMOS: não se envolvam com drogas (medicamentosas e muito menos as demais), a NÃO SER QUE SEJA ALGO PRESCRITO POR PROFISSIONAL DA ÁREA MÉDICA e que seja com MUITO cuidado!  Falo com a experiência de quem, INFELIZMENTE, tem que fazer uso de antidepressivo - SINCERAMENTE, foi minha última opção; jamais usaria se não fosse necessário!

Por Elane F. de Souza (Advogada, Autora e Administradora deste blog)...o filme é do canal do youtube Igor Ferreira

OBS*Quem não conseguir ver o filme pelo youtube no link do vídeo acima, procure pelo nome do filme no Youtube, certamente encontrarão disponível em outro canal.

13 de fevereiro de 2017

Mulher com quadro depressivo grave contrata "matador de aluguel" para colocar fim a própria vida

Uma mulher que não teve o nome revelado pela justiça nem pelos meios de comunicação do Distrito Federal, decidiu contratar um "pistoleiro, matador de aluguel", para por fim a própria vida pois as tentativas de suicídio anteriores sempre haviam sido frustradas.  

No entanto, mesmo com contrato assinado com o matador ela não teve "sucesso" (ou seria fracasso?). Continua viva!  Ao invés de "cumprir o contrato", realizando o ato para o qual fora contratado, o matador agiu como um ladrão - e não exatamente como um pistoleiro.  Levou o pagamento e fugiu sem prestar o "serviço"!

Resultado de imagem para figura de gente atirando
figura.foto crédito Ilhéus 24h
Sentido-se lesada ela foi a justiça processar o "prestador de serviço" e a justiça, além de negar e arquivar o pedido ainda considerou como sendo de objeto ilícito (matar alguém não pode ser objeto de contrato - NISSO CONCORDO e está na lei).

O que não concordamos é o fato de uma pessoa estar gravemente enferma, e isso se confirma com o próprio contrato e o pedido para ser morta, ter o direito de reaver os bens que deu em troca de um "serviço" prestado, NEGADA!  

Essa senhora, definitivamente não está bem; quer, por tudo, dar cabo da vida, quando tem uma ideia estapafúrdia como a que teve ao contratar outrem para efetuar o próprio homicídio ainda leva calote!? 

POBRE MULHER!  A justiça da cidade onde vive (DF) deveria ter sido mais complacente com ela no momento de se pronunciar - ao invés de considerar improcedente e arquivar o caso deveriam encaminhá-la a um bom tratamento psiquiátrico e psicológico e buscar o "infrator", o "ladrão" que a roubou no momento de maior falta de "lucidez" que a pessoa, certamente, já enfrentou - O DESEJO DE POR FIM A VIDA! 

Só quem viveu ou vive com depressão sabe o que é essa maldita doença - ela lhe "rouba a vontade de viver" e se, nesse momento chegar um aproveitar e lhe roubar os bens materiais, o que mais haverá para lutar?    

JUSTIÇA DO DF, dê amparo a essa mulher; não tire dela o pouco que lhe resta - pelo que consta o único que lhe restava era esses bens que entregou em confiança na obtenção de algo (mesmo sendo o homicídio, algo ilícito, o dado em troca NÃO - o dinheiro e os bens materiais - esses ela deveria reaver).

Um pouco da reportagem do G1, DF
(...) O juiz rejeitou os argumentos e decidiu que, como não havia contrato formal, não seria possível validar ou invalidar qualquer termo desse documento. Com isso, o pedido foi negado, e o processo, arquivado. A ação correu em segredo de Justiça e, por isso, o G1 não conseguiu acesso aos dados da mulher e dos advogados que a defenderam no caso.
Na ação, a mulher relata que desenvolveu quadro "depressivo-ansioso crônico, com aspecto suicida", e que teve a capacidade de trabalho comprometida por esse diagnóstico. Por não ter conseguido tirar a própria vida, ela firmou contrato com um "matador de aluguel".
O acordo previa o pagamento de uma quantia em dinheiro e a transferência de um veículo para o homem, por meio de uma procuração. O documento possui cláusulas de irrevogabilidade. Porém, depois de receber o pagamento, o "assassino de aluguel" deixou de atender as ligações telefônicas da mulher e não executou o serviço.
A Justiça do DF tentou resolver o caso em audiências de conciliação, mas não houve acordo. O juiz responsável pelo caso, na 4ª Vara Cível de Taguatinga, ouviu uma testemunha e a mulher, que teria entrado em contradição ao falar sobre o "pacto de morte".
Na decisão, o juiz entendeu que não há como validar o acordo sem comprovação documental, e que a procuração firmada entre as partes – para a venda do veículo – não necessariamente caracterizava as alegações da mulher.
"A autora não sofria qualquer mal que a inviabilizasse de manifestar vontade frente ao cartório público e, se o negócio jurídico realizado com base em uma manifestação de vontade em desacordo com o verdadeiro querer do agente, nas hipóteses de erro, dolo, coação, estado de perigo, lesão - os chamados vícios de consentimento – seria anulável", afirmou.
Na sentença, o juiz disse ainda que, se existisse um contrato, cujo objeto do negócio fosse realmente o assassinato da mulher, ele não teria validade. "Impossível ou indeterminado o seu objeto, e o motivo determinante, comum a ambas as partes, for ilícito", disse.

Por Elane F. Souza (Advogada, Adm. e autora deste Blog) com


12 de fevereiro de 2017

FAMÍLIA: alguns integrantes fazem a diferença

Dizem que em toda família há, pelo menos uma, "ovelha negra"¹; infelizmente não inventaram um ditado que, mesmo enviesado, afirmasse o contrário: em toda família há, pelo menos uma, "ovelha branca"² !

Apesar dos ditados populares, a maioria das vezes, trazerem consigo formas pejorativas e preconceituosas de afirmar algo, o fato é que, no caso em questão as duas frases utilizadas são verdadeiras!

Tem gente que nasceu para provocar dor de cabeça e envergonhar a família; no entanto, há outro tipo de gente que nasceu para fazer a diferença: ajudar os seus de todas as formas, praticamente esquecendo-se de si em favorecimento de um ou alguns dos familiares que mais necessitam.


família não é tudo igual
figura post por mensagens 10

A seguir citarei três das pessoas que mais admiro; para minha alegria, são parte da família!

Antes, porém, saliento que isso aqui não é um texto de caráter exatamente público, muito menos um artigo; trata-se mais de uma homenagem a essas três pessoas que nasceram para amar o próximo e fazer a diferença em nossas vidas - vidas de quem tem o privilégio de tê-las por "perto"! 

Elizabeth

Elizabeth é minha irmã! Caçula de uma família de 5 (cinco) filhos (4 vivos); hoje passa dos 40 (quarenta) anos de idade, está casada há mais de 13 anos e tem uma filha com deficiência de 19 anos, nascida de um relacionamento anterior.  

Na verdade a menina de nome Amanda Karina (sua filha) tem uma enfermidade chamada Esclerose Tuberosa, conjuntamente com algo de Autismo e alterações no sistema nervoso central que lhe causa, também, eplepsía (um conjunto de doenças que a fizeram estar na cama, sem nunca andar e falar desde que nasceu).

Apesar de enfrentar esses e outros percalços Elizabeth é uma mulher forte e com um coração GIGANTE!  Sempre viveu próxima a nossos pais que hoje, apesar de estarem idosos, ainda ajudam a cuidar da menina quando ela precisa sair; no entanto, ela faz exatamente o mesmo: está sempre ao lado deles para o que precisarem (em todos os sentidos: companhia e, é claro, dá-lhes amor e atenção).

Em se tratando da filha com deficiência não existe melhor e mais dedicada mãe.  Nunca imaginei Amandinha sem Elizabeth; às vezes me coloco no lugar de minha irmã, em pensamento, e já me ponho louca ao ponto de fazer uma besteira!  É muita dor ver um filho sofrer há tantos anos sem ter nada que se possa fazer!

Essa minha irmã, definitivamente, merece uma vida longa, com saúde e um futuro de paz, sossego e quiçá algo mais de felicidade! São de pessoas assim que o mundo deveria ser composto!  

Joana Angélica e Emília

Joana, carinhosamente a chamamos de Joaninha (sempre foi assim, nem sei se ela gosta), é irmã da minha mãe, portanto minha tia. 

Tem apenas, creio eu, 2 anos a mais que meu irmão mais velho (não citarei quantos), é assim pois minha mãe é a mais velha de uma família, imagino, de 14 filhos vivos; logo, quando a minha mãe se casou (muito nova) minha avó seguiu tendo filhos.  Alguns de nós somos da idade dos tios!

Joana é uma mulher solteira (parece que prefere assim); apesar de ter seu próprio apartamento ainda vive com os pais (meus avós) que estão bem velhinhos.

Meu avô está com 90 (noventa) anos ou mais e já bastante debilitado; minha avó, com mais de 83 (oitenta e três) anos segue, aparentemente bem; um tanto quanto triste pela enfermidade que vem enfrentando meu avô; no entanto, ela me pareceu "bem de saúde" - espero que sim!

Emília é a outra filha de minha avó, essa minha querida e amada tia é casada e tem dois filhos; ela sim, é, exatamente, da idade de meu irmão mais velho - hoje Emília vive distante dos pais, todavia nunca os abandonou! Passou longa temporada sob seus cuidados quando viviam em Cuiabá (atualmente meus avós vivem em Goiania-GO com Joana Angélica).

Os meus pais que tiveram "apenas" cinco filhos foram agraciados com Elizabeth ao lado deles; com relação aos meus avós, que trouxeram ao mundo 14 filhos, dois deles vale a pena citar pela importância e a diferença que fazem na vida dos pais e de toda a família, são eles, digo ELAS, citadas anteriormente: Joana Angélica e Emília Neri.

Ninguém sabe o que realmente é cuidar de pessoas doentes; só a quem "tocar" fazer isso saberá!  Felizmente existem pessoas como as citadas que não esperam que lhes "toquem" a vez de cuidar; simplesmente cuidam sem indagar aos demais que também, em tese, teriam obrigação de fazê-lo! 

Quando digo que, em tese teriam obrigação, falo pelo que vejo: existem filhos e filhos: uns preferem abandonar os pais num "depósito de idosos" e ainda sacar a metade da pensão para si; outros ficam com os pais em casa mas é como se os mesmos fossem objetos que não usam mais - só estão alí porque são fontes de dinheiro (sacam a pensão e a utilizam toda em benefício próprio); quando os pais são ricos ficam com eles mas torcendo para que morram logo, assim herdarão os bens, isso quando não contratam alguém para lhes dar cabo de uma vez....

ASSIM, quando temos a sorte de ter algumas Emílias e Joanas Angélica na família (que cuidam com amor, carinho e afeto dos seus) o que devemos fazer é agradecer, recompensar ou pelo menos elogiar de vez em quando!

Parabéns tias, parabéns Elizabeth, vocês são meus ídolos!  Não acredito que algum dia poderia ser igual - QUIÇÁ esteja enganada!

O meu mais profundo agradecimento a todas por fazerem a diferença, para melhor, em nossas vidas! 

Vida longa com saúde e felicidade, igualmente, as três!

OBS.: vale ressaltar que, por sorte, na minha família só existem pessoas do bem; umas melhores, claro, mas nem por isso as outras sejam do mal!

OVELHA NEGRA¹* = termo pejorativamente utilizado para caracterizar uma pessoa que faz parte de um grupo "do bem" mas que só age para o MAL (não fui eu quem inventou, apenas o utilizei porque não vi outra frase que se encaixaria ao que desejava escrever - que me desculpe os que se ofenderam, por tratar coisa ruim de negra - tentarei encontrar algo que não seja pejorativo da próxima vez); 
OVELHA BRANCA²* = termo que utilizei por fazer força contrária a anteriormente citada (ovelha negra); sei que não fui feliz na expressão, todavia não encontrei outra forma de me expressar - alguém que quiser fique à vontade para me enviar alternativas melhores.  Ficaria bastante grata com a contribuição. Desde já minha imensas desculpas aos ofendidos.

Texto de Elane F. de Souza  (Autora e Administradora dste Blog)









10 de fevereiro de 2017

TOP 7 das mulheres mais SENSUAIS que o Brasil já teve: hoje, casadas e com belas famílias!

Abaixo, apresentarei o TOP 7 das mulheres que foram consideradas as mais sensuais do Brasil...., hoje, casadas e BEM (pelo que demonstram), deixaram "tudo" (ou quase) para se dedicar a família, longe da fama e glamour de antes!

*Quer saber mais sobre sensualidade por Tomás de Aquino? Então, clique aqui!

*Sobre sexo definitivo e sensualidade do casal - clique aqui!

As que conseguiram deixar o sucesso, fama e lucratividade para formar uma família sólida e de respeito os meus parabéns; as que não, os meus parabéns também; afinal, cada um (a) sabe até onde pode ir explorando a imagem corporal!

Não exatamente na ordem de sensualidade, beleza e fama que ostentaram (a maioria das que falarei seguem belas e sensuais - algumas mais), APRESENTO:

Feiticeira década de 1990 (nome real Joana Prado, 40 anos, Paulista; foi modelo e assistente sensual de palco do programa do Hulk e também na emissora Bandeirantes - hoje está bem casada com o lutador de MMA Víctor Belfort, tem filhos em comum e vive em Las Vegas - deixou toda a fama para empresariar o marido na carreira de esportista);
Resultado de imagem para Feiticeira e família
Joana Prado - "Feiticeira", foto por EGO-GLOBO.COM
Tiazinha década de 1990 (nome real Susana Alves, 39 anos, Paulista; foi modelo, cantora e atriz; todavia, o seu papel de maior sucesso foi mesmo atuar no programa de Luciano Hulk na Bandeirantes como uma espécie de "mulher gato", sensual - ao lado de outra, também famosa, "feiticeira" - Joana Prado!  Atualmente "Tiazinha" está casada e tem um filho com o ex-jogador de Tênis Flávio Seretta - formando mais um lindo e feliz casal);

Loira do Tchan 1ª, anos 1990 (Carla Perez, 40 anos, natural de Salvador-BA; foi a 1ª dançarina "loira" de um grupo musical chamado É o Tchan; depois tentou ser cantora e a seguir apresentadora de TV, outrossim casou-se com o também cantor Xanddy e desde então segue casada e supostamente feliz com a bela família que formou);

Loira do Tchan 2ª, anos 2000 (Sheila Mello, 38 anos, de Cidade Ademar; foi a segunda, mas a meu ver ainda mais sensual que a primeira loira do Tchan; é dançarinha, apresentadora, modelo e atriz; está casada, desde 2010, com o ex-atleta, nadador Fernando Scherer (o Xuxa) e tem uma linda filha de nome Brenda Scherer);

Morena do Tchan, anos 90/2000 (Scheila Carvalho, 43 anos, natural de Juiz de Fora-MG; foi a segunda morena do Tchan; é dançarina, apresentadora e atriz - está casada, desde 2007, com Tony Salles, ex-vocalista do É o Tchan e tem uma filha nascida em 2010)

Mulher Sambambaia do Panico na TV (nome real,  Danielle Souza, mais conhecida como Dani Souza, 36 anos, de Lages, Santa Catarina; foi modelo e assistente de palco do programa já relacionado;  está casada com o Jogador de Futebol Dentinho, Brasileiro que atua no Shakthar Donetsk na Ucrania e se dedica, exclusivamente, à família e a empresariar o marido.  Formam uma belíssimo par e tem três filhos em comum);
Resultado de imagem
Dani Souza - foto EGO, GLOBO
Susana Werner, atriz de malhação (Susana, 39 anos, Carioca; foi destaque na TV, especialmente na novela malhação temporada 96/98; casada, desde 2002, com o Goleiro Brasileiro atuante no Benfica de Portugal, Júlio César - estão bem e felizes como se supõe quando olhamos as redes sociais dela; têm 2 filhos com o referido jogador).
Resultado de imagem para susana werner e familia
Susana Werner e família (por O Dia -  IG)
Meus parabéns a todas as beldades apresentadas!

Por Elane F. de Souza (Autora deste Blog)

Projeto prevê licença para mulher de até três dias ao mês. MOTIVO: Período Menstrual

O Deputado Federal Carlos Bezerra (PMDB-MT) tenta introduzir no ordenamento jurídico brasileiro uma lei que, em nosso entendimento, não passa de mais um motivo para nós mulheres sermos ainda mais discriminadas do que já somos no momento de uma contratação.  

Suponha que após a aprovação de uma Lei assim você e outras mulheres realizem processo seletivo de uma empresa privada, com vários homens; as justificativas de você e elas não serem contratadas (e eles sim) será mais uma incógnita pois; hoje, apesar de inacreditável, já existe o FATO de serem mulheres - com a nova lei cria-se mais "motivos" para sermos rechaçadas.

*Sobre a mulher no MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL, clique aqui!

Portanto se hoje já somos "empecilho", além de tudo "mal pagas" (quando comparadas aos homens num mesmo cargo), imagine após criação de regras que nos favoreça, que nos dê 3 (três) dias ou mais em cada mês por estarmos menstruadas!?
   (Crédito: Thinkstock)
Foto Crédito Thinkstock e TNH1  Dores Menstruais
Não quero nem pensar na quantidade de mulheres desempregadas!

O fato é que se quisermos nos igualar aos homens em tudo (inclusive oportunidades e salários), não podemos aceitar benefícios tão distintos e "discriminatórios".  Para isso já existe a licença maternidade (sobre licença nas relações homoafetivas e na falta da mãe é outro artigo/assunto).

Acredito que esse cidadão-Deputado, velhaco da política Matogrossense (conheço bem, nasci no referido Estado), não tem mais nada de bom a oferecer, nem nunca teve; por isso aparece agora propondo esse esdruxulíssimo projeto de lei que só irá prejudicar, e muito, as futuras trabalhadoras e quiçá as que já estejam trabalhando. 

Isso acabaria se tornando "motivo" para algumas que trabalham ser demitidas - inventariam outro; mas o real seria o fato de estarem faltando 3 dias em cada mês - mesmo que legalmente amparadas.  

Experimente se colocar no lugar de um empresário ou administrador que visa lucratividade em seu negócio (todos visam)! 

Ninguém quer funcionário que falte, mesmo que justificadamente, três ou mais vezes ao mês. Podendo, certamente contratariam homens; a não ser que a lei venha com percentuais obrigatórios de contratação feminina!

Apesar dos argumentos favoráveis apresentados pelo referido Deputado não creio, de verdade, que isso seria viável no Brasil; todavia, na Itália foi - mas cada "caso" é um caso e vivemos aqui!

Menstruar faz parte da vida da mulher, todas nós entendemos isso e suportamos "bem" (não há o que se fazer quanto à natureza).  

Quando os sintomas são agressivos já não é uma simples menstruação, algo mais pode estar passando e a mulher ainda não tenha se dado conta (falo por experiência própria).  

Passei mais de 19 anos convivendo com a endometriose; foram tantos anos com ela e suas dores que acabou se tornando profunda e expandindo-se para outros órgãos (intestino e trompas, por fim, adentrou-se no útero - adenomiose)..., isso dói e DÓI mais quando se está em período menstrual! É como se fosse "apenas uma cólica forte", quando no fundo é algo mais complicado e portanto deve ser investigado.


O depurado citou ainda que países asiáticos, como Japão e China, já implementaram a prática com sucesso.
“O afastamento do trabalho durante a menstruação tem respaldo científico e é defendido por médicos, levando-se em conta as alterações sofridas pelo corpo feminino durante esse período”, argumentou o deputado.
O projeto ainda tramita na Câmara e, antes de ir a plenário, deve passar pelas comissões de Defesa dos Direitos da Mulher; Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; Trabalho, de Administração e Serviço Público; Constituição e Justiça e de Cidadania.
Texto e crítica por Elane F. de Souza (Advogada, Autora e Administradora deste Blog)
Fonte dos 2 últimos parágrafos : Exame e Tnh1
Foto Crédito Thinkstock e TNH1





7 de fevereiro de 2017

Espanha na visão de turista: férias 2015 (P.1)

Apesar de possuir um Patrimônio Histórico que poucos países possuem a Espanha, em 2015 me surpreendeu com sua natureza que também é exuberante!  

Dentro das terras de Cuenca, cidade "medieval" e das famosas casas "colgadas", existe um parque chamado "Cidade Encantada" que também vale MUITÍSSIMO a pena conhecer - fiquei realmente ENCANTADA!


Na verdade, a Espanha, num todo, como a Itália, são países que sempre estarei disposta a voltar. Tudo é muito lindo; o patrimônio histórico desses países me emocionam - quando os visito parece que, inclusive EU, faço parte daquela história; de tudo que passou ali, de tudo que aconteceu há centenas e até milhares de anos.  

Quem assiste a série "Game of Thrones, Juegos de Tronos ou Guerra de Tronos"uma das séries mais vistas da atualidade, pode imaginar o que sinto quando visito esses países.  A maioria dos castelos e muralhas estão na Espanha - a última vez que estive alí conheci uma amiga de meu cunhado que até participou das gravações de algumas das cenas (como figurante, claro - lhe pagaram apenas 20 Euros e ela passou um frio, durante horas, até que terminassem de gravar as cenas que estaria todos os figurantes - disse que NUNCA MAIS....rsrsr!).

La Puerta de Felipe II de Peñíscola, en Castellón, es el escenario elegido para acoger el reino de Meereen en la serie.
(Por El País)La Puerta de Felipe II de Peñíscola, en Castellón, es el escenario elegido para acoger el reino de Meereen en la serie.

Mas a Espanha não vive só de história e natureza de pedra e verde; no próximo episódio falarei, também, de Sierra Nevada ou Barcelona - esta última é a "Terra dos Turistas"; quem é que já foi à Espanha e não conheceu Barcelona?

Por Elane F. de Souza (Autora e Administradora deste Blog)

*Além de um e outro cenário da série passar em Dubrovinik (Croácia) ...um dia estive aí por algumas horas (passava por lá de Cruzeiro e paramos para almoço)...Também é demaisssss...maravilha!

Foto crédito: Por Él País (Maíka 777/Getty)
Vídeo: Elane em youtube férias 2015 España

1 de fevereiro de 2017

Politicamente correto? Será?

"Politicamente correto e empatia" - já notaram que são atitudes que estão mais ou menos ligadas?  Quando o problema incomoda os outros todo mundo tem um pitaco a dar! O tal do politicamente correto passou a ser chique, mas isso só acontece quando o assunto é com os outros, quando é com a gente o "buraco é mais embaixo" (a empatia vai para o "brejo, rapidinho")!

O simples fato de irmos contra certos preceitos, que antes eram "normais", já nos tacham de preconceituosos, intolerantes, racistas, "animalfóbicos" e até "gordofóbicos"!

De verdade, está ficando difícil se manifestar sem ser xingado e até humilhado publicamente pelos falsos moralistas!

Há alguns meses "passava os olhos" em certo "jornaleco" que dizia, em outras palavras, mais ou menos o seguinte: uma moça tinha comprado ou ganhado um cachorrinho; como ela morava e mora num edifício de apartamentos (ou seja, vive em comunidade) estava ficando difícil a convivência vez que o pequeno animal latia muito quando ela chegada (talvez estivesse comemorando); o fato é que os vizinhos começaram e se incomodar, por isso decidiram pedir que ela tomasse uma atitude (quiçá comprar um focinheira, ou educá-lo melhor, sei lá).  SÓ QUE NÃO, ela não quis nenhuma das opções! 

Fez o que todo mundo vem fazendo - postou o assunto nas redes sociais para "lavar a roupa suja" - foi aí que começou o debate!

Na minha humilde opinião e na de muitos que estavam "debatendo" o referido assunto, ela estaria errada; teria que resolver o caso entre os vizinhos envolvidos e de alguma forma "extinguir" o problema do barulho por completo.  

Ninguém quer que seu momento de sossego em casa seja destruído por ruídos alheios.  É exatamente como disse em um artigo anterior, publicado em outro blog sobre EMPATIA; se você tem um cão ou um bebê, coloque-se no lugar do vizinho e tente, mas tente de VERDADE acabar com a perturbação que está gerando; afinal, os mesmos direitos que você tem ao silêncio ele também tem.

Por mais "bonzinho" e amante dos animais que você seja entenderá meu posicionamento; pense no assunto como se o cão fosse uma criança chorando o tempo todo; PERCEBEU, o incômodo?  

A outra discussão a que me referi também envolvia animais (e, por acaso, era outro cachorro). 

Um Pet Shop havia feito uma promoção para banho e tosa de cães - talvez pelo fato de o valor ser bastante simbólico, muitos apareceram com seus bichinhos a "tira colo" para receber os cuidados oferecidos.

O fato é que um certo jovem não conseguiu que seu cão tomasse banho e fosse tosado - segundo ele, negaram atendimento ao cachorro porque o animal não era de raça.  Daí, CLARO, o menino foi ao facebook e postou a tal "denúncia" para todo mundo ver. NORMAL, JÁ É MODA difamar os outros por tudo e por nada!

Quem tem bicho de estimação e quem não tem, sabe que tratar animal assim ou assado vira polêmica, e por qualquer coisa..., até a negativa de atendimento em um PET (e estou falando de PET) não era um hospital veterinário não!  

Imagine que tu vá a um cabeleireiro, esteja cheia de piolhos; o cabeleireiro percebendo te negue atendimento.  Vai postar isso no facebook?  

O mesmo se dá com um cão; a outra parte foi ouvida e segundo eles não foi pelo fato do cão ser vira-latas; o cachorro estava com sarna - não queriam que seus outros clientes saíssem de lá com sarna por causa de um que iria se utilizar das instalações - melhor prevenir, não acham?   

O caso "imaginário" da cliente, humana, piolhenta e o cabeleireiro, proprietário do salão, é igual.  Definitivamente, para as coisas "andarem" bem temos que estar nos policiando! 

- o que eu faria se estivesse no lugar, nessa situação? Como eu gostaria de ser tratado?

Esse cidadão, dono do cão "DISCRIMINADO", deveria ter, primeiramente, tratado o cachorro com medicamentos para depois levá-lo a um pet de banho e tosa.  Existem coisas que até parecem ser feitas de propósito - para difamar!

Um outro assunto, também polêmico, é o fato da "discriminação" por obesidade.

É lindo você sair por aí dizendo que não discrimina ninguém e nada, que você é super do bem e coisa e tal...., o fato é que não é verdade - sei que essa minha declaração pode te chocar; mas é assim que as coisas são!  

Certa vez escrevi um artigo que dizia: "Discriminação: quem nunca praticou ou sofreu que atire a primeira pedra"; ainda hoje sigo com o mesmo entendimento.  

Uma "coisinha" ou outra, quer queiramos, ou não, acabaremos por discriminar e/ou ser discriminados!

Quer aprender a REDIGIR REDAÇÃO E OBTER NOTA 1000 no ENEM ou CONCURSOS PÚBLICOS? Se a resposta for sim - SAIBA MAIS AQUI

Essa coisa de politicamente correto não existe num todo; é uma faceta disseminada para nós pensarmos que o mundo está mudando para melhor - SÓ QUE NÃO, ele não está, essa é a verdade - infelizmente!

Imagine que você vá fazer uma viagem de avião na classe econômica - bancos sem muito conforto, espaço reduzido e viagem longa..., isso também pode ser exemplificado para ônibus ou trem; por "sorte" ou por destino, o companheiro ao lado é um obeso(a) e o avião ou o outro tipo de condução esteja lotado, não tenha como você mudar de assento, nem ele.  .....

Você está na janela, volta e meia terá que sair para ir ao banheiro ou movimentar as pernas se for um vôo longo - internacional, por exemplo; nesse caso terá que incomodá-lo constantemente pois, não é possível que você saia sem que ele se levante - sem falar que terá que se encolher em seu próprio assento - o vizinho é muito "largo" para uma cadeira só!

Sentir-se incomodado, chateado e revoltado com essa situação é anormal? DIGA-ME, é anormal querer viajar com um mínimo de conforto quando pagou o mesmo preço pelo bilhete que o companheiro de assento e os demais?  

Não creio!  É um direito do consumidor desfrutar do que comprou e pagou!

Hipocrisia para que?  Todos sabemos que o mundo não está repleto de bons samaritanos - infelizmente o contrário!

Resultado de imagem para politicamente correto e direitos humanos
Politicamente correto - foto por blog turismo adaptado
Por situações como essa do passageiro obeso que algumas empresas estrangeiras passaram, algum tempo, cobrando dois bilhetes de clientes muito acima do peso - depois, conforme perdiam peso teriam desconto. 

Elas (as empresas) também estavam descriminando por agirem assim?

Claro que não - faziam o papel delas de empresa, pessoa jurídica - dar conforto aos clientes e, para que isso fosse efetivado teriam que deixar a todos igualmente confortáveis; assim, evitariam, num futuro, tornarem-se vítimas de uma ação na justiça.

Agora, nós humanos, pessoas físicas, temos que ficar com essa infinita frescura de não poder dizer ou fazer isso ou aquilo - já tá ficando chata essa falsidade de TUDO ter que ser "politicamente correto"! 

PRONTO, FALEI!

Por Elane F. de Souza (Advogada, Autora e Administradora deste Blog)







NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner