19 de março de 2019

Filho "explorado" é exemplo de amor incondicional à mãe

Uma história que vi e ouvi, via internet (do programa apresentado por Rodrigo Faro) foi de 'cortar o coração'; no entanto, fez-me refletir uma e outra vez, como sempre venho fazendo há tempo, por meio de alguns artigos que escrevi aqui, e no JusBrasil.

Como podem, pais, colocarem filhos no mundo para fazer o que fez esse pai e o que faz essa mãe - transformada em ídolo para o menino de 16 anos; eu, todavia o considerei como "explorado" por ela!

É admirável trabalhar e ser como ele é; entretanto, considero cruel pois ainda é um adolescente; devia apenas estudar, trabalhar como jovem aprendiz ou estagiário (em tempo parcial) e fazer atividades esportivas que goste; mas não, tem suas obrigações diárias desde os 8 anos: acordar às 4 da manhã para começar a trabalhar (uma rotina que só termina após chegar da escola, à noite, fazer o recheio das coxinhas que vende durante o dia, e só então dormir).

Isso é vida para um menino de 16 anos?  

Trabalhar para criar irmãos e mãe, pessoas que ele não colocou no mundo, tampouco ele pediu para vir ao mundo!?


Filho, só deve ter quem pode, hoje em dia colocar um filho no mundo é um luxo para poucos!  

O Brasil, principalmente para pessoas paupérrimas, que vivem em locais de alto risco ou favelas, é um lugar muito perigoso para criar filhos: crianças e adolescentes. 

Algumas vezes eles (os filhos) acabam se envolvendo com o crime organizado (são aliciadas enquanto os pais trabalham); quando demasiadas boas, honestas por natureza (como esse garoto) são usados pelos próprios pais para trabalhar e sustentar os demais (os que ficaram em casa - como irmãos menores e ou genitores desempregados).

O mais interessante é que a história foi contada, pelo apresentador e pela repórter, como algo lindo, algo maravilhoso!  Se querem dar o que o menino necessita e sonha (material patrocinado para fabricar salgado) que dê, mas contar a história dele como se fosse algo lindo, é de cortar o coração!  
hora do Faro garoto ganha fábrica de coxinha
A História do menino no referido programa da Record.

Ele, nada mais é que um menino explorado por um pai que abandonou após o divórcio (não paga pensão, tampouco o visita) e por uma mãe que se aproveita da boa vontade dele e do gosto natural pelo trabalho, para colocá-lo nas ruas, em meio ao sol e possível chuva - isso, sem contar que parece ser ele mesmo, o maior responsável pela fabricação do produto vendido!

No final das contas a história contada valeu para alguma coisa - ganhou uma mini-fábrica de salgados e vai poder trabalhar menos e ganhar mais; quiçá, até empregar ajudantes, como era o sonho dele (isso foi bom para os três - para audiência do programa, para a empresa que fez uma longa publicidade e principalmente para o garoto, que ficou super feliz e realizado)!

Lamentavelmente, esse é apenas um dentre centenas, quiçá milhares de crianças que vivem pelas ruas deste país fazendo o mesmo que ele fazia: vendendo água ou suquinho, salgados em geral ou pedindo em sinal de trânsito à mando dos pais!

Quando é que iremos aprender ou visar o controle de natalidade?  

Vocês realmente acreditam que vale a pena ter filho para explorar?

Vocês realmente acreditam que um ser humano, que não pediu para nascer, merece ser obrigado a ir para as ruas, ainda criança, porque seus irresponsáveis pais não souberam ou não quiseram se prevenir?

Vocês realmente acreditam que uma gravidez acidental (não planejada, não querida) vale a pena seguir até o fim?


Muito mais eficaz e decente é o aborto; assim, ninguém sofre por rejeição ou exploração!  Um feto (de 12 semanas ou 3 meses) ainda não tem consciência de vida; não sofrerá, tampouco recordará que foi abortado - você sim saberá e terá consciência de que abortou; mas se não tinha a menor vontade, amor, aptidão ou recursos financeiros para criar, SINCERAMENTE, você fez a melhor escolha para os dois (para você e para o feto).

Em condições "acidentais" (esquecimento da pílula); estupro, feto anencéfalo (sem condições de vida viável); ou gravidez em pessoas de condição social miserável; ou com alguma doença incapacitante (que não possa criar, porque é vulnerável e já são responsabilidade de outros, judicialmente falando), sou favorável ao aborto e, se pudesse faria campanha pública, em favor! 

Não entendo qual o problema em aprovar o aborto! Tantos países já o fazem (Portugal, onde já vivi é exemplo disso) e o contrário do que acreditam o número de aborto sempre cai; afinal, atrás de uma autorização há sempre uma conscientização e ajuda psicológica, antes de praticar o ato.

Geralmente, crianças bem pequenas sequer se recordam de suas vidas enquanto bebês (grandes acidentes ou traumas são esquecidos); imagine a consciência que teria um feto ao ser abortado!?  

Consciência devemos ter nós antes de colocá-los no mundo para sofrerem, adoecerem, morrerem, trabalharem para sustentar outros e depois de tudo isso, no final de nossas vidas, exigir deles que nos cuide, que sejam responsáveis por nós, porque fomos nós que fizemos o "FAVOR" de trazê-los à esse inferno, chamado mundo!

Amor, dedicação e empatia é a coisa mais importante no mundo; só não devemos esquecer que ter essas qualidades para quem nos colocou no mundo não é uma obrigação; afinal, nascer NÃO foi escolha nossa!

*Obs.: aqui só faltou eu processar meus pais por me colocarem no mundo! (rsrsr); só uma piada para espairecer o texto!

Por Elane F. de Souza (Advogada, articulista do JusBrasil e de seus Blogs Divulgando direitos e Diário de conteúdo Jurídico)
Conheçam também nossa fã page no facebook


Fonte: hora do Faro


17 de março de 2019

Psicopatas Integrados na política e na religião

Não precisa ser Psicólogo, tampouco médico Psiquiatra; um autodidata, apaixonado pela Psiquiatria ou Psicologia é capaz de identificar 'possíveis' psicopatas integrados; pessoas essas com transtorno de personalidade narcisista. 

Os mais capacitados, dentre os apaixonados pelo assunto, são aqueles (as) que já tiveram contato direto com um ou vários desses depredadores; eu, particularmente, já tive e ainda tenho com 3 (três), o que é lamentável!

Na faculdade eu já era a que adorava Medicina Legal; naquele tempo não havia, pelo menos na Faculdade em que estudei (nem sei se há) uma "pasta" de Criminologia, que também amo; no entanto, para a minha alegria já havia a de Medicina Legal.

Passava meus dias "atrás" do Professor (Médico Forense - Legista) para aprender mais sobre pessoas e o mal que podem causar aos outros! 

Várias vezes estive no Instituto Médico Legal (IML) para acompanhá-lo em suas atividades!  Quem optou, nos últimos semestres do curso, por se dedicar mais ao Direito Penal e Processual Penal era "obrigado" a estudar Medicina Legal; todavia, eu só fiz a escolha do Penal, por ela.  

Ademais disso, fiz algumas pesquisas por conta própria e com ajuda de uma amiga policial civil, que pediu a um colega (Agente Penitenciário, um encarregado), assim pude ter acesso a 3 (três) entrevistas com detentos que eram criminosos, com alto grau de periculosidade e aparentemente pouca empatia.

A finalidade das entrevistas era conhecer "o pensar"; entender o porquê dos crimes e a reação deles quanto à isso! Se havia arrependimento, se tinha vontade de pedir perdão aos familiares das vítimas ou se pudesse faria novamente igual ou diferente!

Dois se mostraram indiferentes a dor de quem perdeu alguém por vontade deles - indagados não se mostraram arrependidos; pelo contrário, diziam que a vítima mereceu, e que, talvez, na mesma situação fizessem novamente. 

O mais 'empático' dizia que foi apenas um impulso pela contumaz traição da mulher (por isso matou ela e o amante, de forma cruel). Disse que já não aguentava mais a chacota dos vizinhos; afinal, todos sabiam e ela não fazia questão nenhuma de esconder - só não se separou e foi embora porque ela o seduzia, o manipulava uma e outra vez para continuar com o relacionamento (talvez fazia isso pelo dinheiro dele); um dia cansou de perdoar; pegou ela e o amante juntos em casa e os matou!

No último caso, acredito que a Psicopata (se a história foi realmente como ele me contou) era mais ela, que ele!  Ele com "traços" e ela "totalmente psicopata", insensível e fria; "depredava", manipulava o marido constantemente; aproveitava-se apenas do que ele podia oferecer; mas sexo e atenção era só com o amante (disse o condenado mais "decente e aparentemente arrependido" dos entrevistados).


Mas, e os Psicopatas da Política e das Religiões, como agem?

Resposta simples: Corrompendo e sendo corrompidos - tirando do povo o mais básico que é a dignidade; qual seja: educação, saúde e segurança!

Novamente atrevo 'afirmar': qualquer pessoa, minimamente inteligente, honesta, sensata e empática, nota no outro (e em si mesma), se este outro poderia ser um potencial Psicopata Integrado, ou ter apenas traços narcisistas!
imagem de pixabay grátis
Manipulação política e religiosa

Quem entra para a Política ou cria religiões para comandar pessoas, instruí-las e manipulá-las, quase sempre tem transtorno de personalidade narcisista ou é um Psicopata em potencial. 

Em se tratando de Brasil, infelizmente é quase sempre assim - ainda não nos evoluímos em educação (familiar e pública) para criar mais cidadãos de bem, pessoas que queiram entrar para o mundo da política ou religião para fazer SOMENTE o bem para todos e em prol de um país melhor, com pessoas mais educadas, mais civilizadas e consequentemente menos violenta!  

Os que desejam e acabam ganhando as eleições para comandar nosso país são sempre os mais preparados; os experts em manipulação; a ânsia de poder não é para construir e fazer o país prosperar como nação, mas tão somente enriquecer-se às custas dos impostos que pagamos, dos contratos super-valorados; das licitações fraudulentas, etc. 

Corromper-se e/ou ser corrompido aqui é quase regra (desde o cliente ao caixa de supermercado quando não devolve o troco a mais  - só como exemplo, poderia ser qualquer profissional), daí como poderíamos ter políticos honestos se a corrupção vem de baixo? 

Inclusive da educação que damos a nossos filhos quando eles ganham nota baixa e vamos ao colégio bater no professor ou o próprio aluno se encarrega de dar cabo, ou uma bela surra no Professor!  

Na política e nas religiões é onde encontramos cidadãos mais frios e calculistas da sociedade - ainda não vi, nem sei se terei oportunidade de ver, algum político aqui (de alto escalão) fazer algo de bom para a população (salvo, algum prefeito ou vereador de cidadezinha - infelizmente isso não basta)!

Da mesma forma, os líderes religiosos ou criadores de religião! Esses são (salvo raríssimas exceções) manipuladores natos! É exatamente para manipular os crédulos, os fáceis de manobrar, as "ovelhas" culpadas ou necessitadas de perdão diário, que esses psicopatas criam religiões e deuses!  A partir daí, para "arrancar" todos os bens de quem os segue e crê, é um passo! 

Indagados após "doação" dizem que a "oferta" foi dada voluntariamente e que o milagre não aconteceu por culpa da 'vítima' que não tinha fé suficiente!  Produzem, na cabeça dos seguidores uma ilusão tão grande que o próprio fiel acreditará que a culpa é dele, nunca de seu pastor, seu líder religioso que lhe "manipulou"

É como o tal do "gaslighting*" (luz de gás) produzido por um narcisista (homem ou mulher) e direcionado à vitima, a(o) subjugada(o) integrante do casal (aqui vide violência psicológica, moral e/ou financeira contra a mulher - art. 7º, incisos II, IV e V da Lei Maria da Penha); infelizmente a referida Lei não se aplica ao homem, igualmente vítima de violência do tipo apresentado.


É lamentável, mas não devemos colocar a culpa somente nos psicopatas religiosos; os que seguem ('cegamente') também tem algo de culpa. Às vezes doam quantias exorbitantes para esses extorquidores em troca de cura, mais riqueza ou qualquer outra coisa que deseje! Quando a coisa não acontece, não sai como esperado, e quase sempre é assim, ficam furiosos e vão à justiça reclamar - "compram algo que não existe (milagres) depois reclamam"!

No caso dos políticos é bem mais grave, pois quem é eleito também comandará o país em nome de quem não os elegeu!

Como já dissemos, não raras vezes são psicopatas prontos a depredar o que resta do patrimônio público; receber vantagens de aliados ou empresários, fazer barganhas internas e apenas investir um mínimo do mínimo (não o "mínimo existencial" da Constituição) em prol do povo e do desenvolvimento do país.

Então, vocês acreditam mesmo que pessoas assim são normais?  

Que tem alguma empatia para com o povo que os elegeu?  

Que tem remorso ao ver a população na miséria e morrendo em fila de hospitais sucateados porque o recurso foi desviado para o bolso deles e de seus aliados? 

Enquanto eles puderem ter seus carros novos e blindados; suas mansões vigiadas; seus seguranças armados ao lado (dia e noite, financiada pelo povo, porque geralmente são servidores públicos - policiais); poder fazer viagens em aviões públicos e ainda receber por elas; poder fazer reuniões regadas à champanhe e caviar, o resto que se dane com fome, frio, falta de medicação e hospitais, falta de teto em decorrência de desastres naturais ou provocados; sem falar  na violência que degrada, cada vez mais, este país!  

Deixar a população passar pelo relatado no parágrafo anterior não é humano - gente que se elege mas deprecia o eleitor e ainda sucateia o país são depredadores por natureza; acercar-se a eles ou fazer frente é um perigo 'mortal'! 
E-book Vampiros Emocionais ou Depredadores emocionais
Narcisismo e Psicopatia andam juntos

Por Elane F. de Souza (Advogada, Articulista do JusBrasil e Blogueira, Adm. de seus blogues DCJ e Divulgando direitos) + a fã page Diário de Conteúdo Jurídico (DCJ).

Imagem/créditos: pixabay grátis, imagem de

Image by Alex Yomare from Pixabay

11 de março de 2019

"Perdi minha identidade espiritual", o que faço agora?

Para as pessoas que são extremamente religiosas ou apenas religiosas, entenderão o que passarei a discorrer!

A Violência doméstica, quando é moral, psicológica e financeira*, nos destrói de dentro para fora! Nos perdemos de nós mesmos(as), deixamos de ser quem somos, nos transformamos em uma casca vazia, ou algo parecido a um zumbi ou morto vivo!
(*Lei Maria da Penha - 11.340/2006, artigo 7º, incisos II, IV e V)

Violência contra a mulher
Mulher destruída, mulher vampirizada

Somos manipulados de tal forma que costumamos dizer a nossos Terapeutas, pessoas da família ou muito próximas (só a elas, e, às vezes só ao Terapeuta, por vergonha), que não somos mais quem éramos!

A droga pela qual nos viciamos é um outro ser humano, todavia perverso, sem empatia ou remorso! 

Alegra-se em nos ver sofrer - só assim consegue o suplemento para sua felicidade e satisfação pela vida (ele-a não tem isso e nunca teve); precisa de alguém que tem muita vitalidade e empatia, mas que seja vulnerável, demasiado empática e bondosa. Essas são as vítimas perfeitas para os Psicopatas com Transtorno de personalidade Narcisista.

A toxicidade que nos emana, nos adoece! É comum que pessoas que convivem com narcisistas (homem, mulher, trans, Gays; independe da sexualidade), acabe com depressão, síndrome do pânico e até com vontade de por fim a tudo (às vezes põe)! 

Alguns(umas) quando, por fim são descartados(as) (porque, descartar eles(as) é mais difícil - eles(as) não deixam; perseguem e nos "bombardeiam" com seu falso amor); assim, novamente caímos em suas garras - é um recomeço que será ainda pior (é o do tal 'gasligthting'*, ou luz de gás em espanhol, em português ainda não há uma tradução, mesmo literal para a palavra).

*Este filme AQUI, antigo, mostra como é realizado o gasligthing!

Quanto mais saímos e voltamos, mais sofremos! 

É como um vício em qualquer droga. "QUANDO CONSEGUIR SAIR FORA NÃO DÊ NOVA CHANCE - CONTATO ZERO OU PEDRA GRIS*" (é o conselho mais dado por especialistas).

*Veja AQUI conceito (comentários) sobre a pedra gris na Psicologia!

Quem faz tratamento e participa de grupos de ajuda contra alcoolismo a regra é: não dê o primeiro gole!

Bombardeio de amor
Quem sofre com narcisistas é a mesma coisa: "não volte a falar, a receber mensagens e responder; bloqueie (é melhor); se puder fuja para outro Estado ou país; não dê uma "nova foda"(ops), nem beijos; não se sucumba aos encantos malignos dessa criatura sem remorso ou voltará a ser manipulada de forma ainda mais cruel, porque ele entenderá que você é mais fácil de manobrar do que pensava: "é só lhe dar um agradinho, um carinho falso, que você cairá nas garras dele(a) novamente"!

Os especialistas no assunto dizem que, ao longo da vida, todos nós teremos algum contato com essas pessoas porque são muitas espalhadas pelo mundo (cerca de 3% a 7% da população é assim); sem falar que muitos de nós temos alguns traços, mas não somos exatamente pessoas com transtorno narcisista: temos empatia, amor e remorso!

*Vampiros emocionais - você já ouviu falar deles? Saiba mais aqui!

No entanto, esses 3% a 7% são demasiados! Você poderá encontrá-los no trabalho, na família (e muito), na escola, na igreja (bastantes) e na política (demasiados). 

O mundo está repleto e não é difícil que você acabe cruzando com um e se encante por ele(a) - daí, para cair nas garras e se transformar em casal (vítima), é um passo!

Por outro lado, não é incomum que pessoas, filhos de pai(s) narcisistas e violentos se tornem presas fáceis! Parece um imã; gente que já sofreu na "mão de uma mãe ou pai narcisista" também atrai maltratadores!  

Conheço uma família assim: 3 de 4 filhos (as) vivem com narcisistas e não conseguem se desvencilhar. A que tem 3 filhos vive há mais de 23 anos assim - felizmente é a mais forte das três; ainda segue em pé e está 'aparentemente' saudável da mente!  Mas, até já o denunciou por perseguição e violência psicológica!

As demais, todavia, não são tão altivas e fortes como a primeira! 

Uma está muito deprimida e a outra adoeceu bastante e está com stress até o "topo" - lamentavelmente, a "droga que consomem" é de uso constante; para conseguir sair só com muita terapia, antidepressivos e ajuda de familiares e amigos próximos!

O sofrimento causado por Tóxicos Narcisistas (Psicopatas integrados) é como o Transtorno do estresse pós-traumático! Sair disso só com tratamento prolongado (de 2 ou mais anos); se a pessoa regressar com o agressor o Terapeuta terá que recomeçar o tratamento do zero!

Não tenha pena, nem faça pouco caso do sofrimento alheio, tampouco desdenhe de quem sofre por AMOR ZERO (Amor Zero é o título do livro de um especialista no assunto; um espanhol de nome Iñaki Piñuel); ele só trabalha com vítima de "amor zero" e acoso escolar (ou seja, bulliyng).  

Esses dois tipos de vítimas são tão traumatizadas que podem realmente por fim a suas vidas - passam a ver a vida de forma distinta; os pensamentos são disfuncionais; só com uma boa Terapia (Terapia Cognitivo-Comportamental - TCC) a pessoa quiçá possa voltar a ser quem um dia foi.

O assunto tratado aqui são a descrição das vítimas de Psicopatas Narcisistas, os com Transtorno de Personalidade Narcisista; são àqueles 3% a 7% da população que citamos; NÃO SÃO os que comem pessoas, cortam cabeças, grelham bochechas e guardam cérebros em geladeira como nos filmes; estes últimos são outro tipo de gente - pessoas realmente perversas e assassinas; tudo devido ao desenvolvimento, à formação  cerebral!  

No desenvolvimento intrauterino de um psicopata do parágrafo anterior houve uma anomalia, uma redução de matéria cinzenta e o córtex pré-frontal, os polos temporais nunca se ligaram (é como um bebê que tem àquela coisa que chamam de 'moleira'), quando crescem um pouco ela se fecha e, é claro, o crânio endure.

Nos Psicopatas que "matam pessoas de forma cruel e até comem" essa moleira nunca se fecha, só o crânio enrijece (como é lógico)!  

Fazem o que fazem, agem como agem, devido à falta de entendimento do certo e errado, da falta de remorso, da falta de empatia, da falta de amor; não entendem de punição e tampouco se importam com ela - o instinto é fazer o mal!

Os psicopatas integrados são mais 'toleráveis'; no entanto "matam" suas vítimas de forma lenta, via tortura psicológica e moral! 

Meu conselho?

Quando encontrar alguém encantador demais, perfeito demais; a tal "alma gêmea", desconfie e fuja!  Ninguém é perfeito, devemos estar cientes disso para não cairmos em armadilhas como as que caíram as três mulheres citadas acima e também citadas (com mais detalhe), em nosso e-Book (Veja aqui)

Todo o relatado é crime, se você for mulher e sofrer nas garras de um manipulador narcisista, procure a delegacia da mulher e depois busque um Advogado ou Defensoria Pública e peça afastamento (ordem de alejamento (afastamento) do cônjuge agressor); se houver filhos aja para que, apenas eles, tenham contato com o pai - procure uma pessoa de confiança para entregá-los e recebê-los de volta após a visita (a palavra de ORDEM É: não se acerque mais a esse ser ou ele voltará a te manipular, a te sugar como um vampiro que é). 

Infelizmente, se a vítima for homem não há uma Lei "José da Penha" para defendê-los, mas violência é sempre violência - busque ajuda judicial e psicológica para sair dessa relação doente e vá ser feliz com quem te ame de verdade (ou fique contigo mesmo - ninguém te amará mais que tu próprio)!

A Lei Maria da Penha que citamos acima foi modificada pela Lei  nº 13.772, de 2018).

Por Elane F. de Souza (Advogada não atuante, Blogueira, Articulista do JusBrasil e atualmente ativa no canal do youtube - aqui).
Também estamos no facebook com fã page, AQUI.

11 de janeiro de 2019

Mães que sugam, mães que sufocam!

Mãe é uma pessoa como eu e você; não é alguém especial, diferente e única, dentre os demais seres humanos!

Muitas postagens 'rasas' de Facebook, Instagram costumam endeusar as mães, mas nem sempre elas são passíveis e merecedoras de tais elevações! 

Sei que muitos irão julgar o que digo; pensarão, inclusive, que a minha mãe deve ser uma das que sufocam e sugam - ledo engano! 

Tenho sorte, a minha é das perfeitas!

Pode parecer injusto e até passível de má interpretação, mas é bem isso! Nem toda mãe é preparada ou estava preparada, ou queria ser mãe; e mesmo as que queriam e querem, acabam por 'meter os pés pelas mãos'!

Não é incomum filhos reclamarem de seus pais e até odiarem seus genitores! 

Bem normal isso; afinal, como já dissemos, mães e pais são pessoas comuns, gente normal - a única diferença é que eles são pais ou mães e nós, seus filhos!
imagem pixabay
Criança manipulada, manobrada 

Algumas das maiores reclamações dos filhos são:

*Minha mãe exige que eu curse algo que ela quer, não se importa com o que gosto e quero fazer da vida.

*Minha mãe é tão 'super-protetora' que passa 24 horas do dia me ligando ou mandando mensagens para saber onde estou e quando volto - isso me sufoca!

*Minha mãe passou a me odiar o dia que descobriu que eu era gay (lésbica, bi ou trans.). Não fala mais comigo, me isolou; é como se eu não existisse naquela casa.

*Minha mãe sempre me fez trabalhar duro, desde pequeno(a), (não tive vida infantil, tampouco adulta); acabei ajudando ela a criar meus outros irmãos - pessoas que ela pariu - não eu!

*Minha mãe se utiliza da minha beleza para ganhar dinheiro fácil - me prostitui desde pequena e agora quer que eu me case com um cara rico (velho) para sustentar a casa, a ela e meus irmãos.

*Minha mãe se impõe a tudo que gosto e quero. Para ela nada que faço está bom! Diz, constantemente, que sou burra, feia, não tenho nenhum talento e atrativo - às vezes me diz que o melhor seria se tivesse me abortado.

*Creio ser uma moça bonita e todos dizem isso; todavia, a minha mãe diz o contrário e tem ódio quando visto roupas bonitas e me maquio; dá impressão que ela tem inveja de mim - por isso faz tanta questão de dizer que sou feia e que ninguém vai me querer! Tenho vontade de chamá-la de velha, acabada e invejosa (só por vingança e para ela tomar do mesmo veneno que me dá)!

*Minha mãe sempre me bateu por tudo! Lá em casa eu era o 'saco de pancada', sempre obrigado a trabalhar muito mais que meus irmãos. Os poucos dias livres ou desempregado era chamado de vagabundo, comilão, desajeitado e com cara de trouxa! Ela mesma, 'ainda jovem', ficava em casa dormindo ou recendo amantes para comer do dinheiro que eu colocava em casa.

Criança infeliz, usada pelos pais - por pixabay
*Minha mãe teve 4 filhos. Creio que nunca amou nenhum! Sempre me perguntei porque teve tantos filhos se não tinha marido e cada um era de um pai? A resposta veio quando cresci um pouco e fui obrigado a ir para a rua de uma grande cidade pedir esmola e limpar carro. Essa era a minha utilidade e a dos meus irmãos. Com muito esforço fiz o ensino médio-técnico e acabei arrumando um emprego de verdade. Foi aí que fugi de casa e de cidade. Nunca mais soube dela e de meus irmãos (só tenho pena deles).


*Minha mãe é prostituta (já tem 38 anos) e duas filhas. Eu sou a mais velha, estou com 16 anos. Como vivemos no mesmo local onde ela faz programa acabo sabendo (não olhando) tudo quanto é de pornografia. Felizmente gosto de estudar. Já estou no segundo ano do ensino médio e pretendo fazer um curso técnico para trabalhar fora e poder sair desse ambiente doente em que ela vive, e nos faz viver. No entanto, ela diz que prefere que nós também (eu e minha irmã) sejamos prostitutas - "gente pobre como nós é o que resta para fazer"(diz ela), e mais, diz que ajudará a nos transformar em boas profissionais do sexo!  Que mãe faria isso? Isso é amor de mãe? Eu e minha irmã odiamos isso e queremos crescer logo para fugir dela e ir trabalhar, até de doméstica, que é mil vezes melhor!

*Fumo e bebo desde os 6 anos de idade. Meus pais foram os responsáveis por isso. Que pai ou mãe, de bom caráter, daria bebida e cigarro para uma criança tão pequena? Pessoas assim não servem para ser pais; são irresponsáveis demais - colocam a vida dos filhos em risco sempre, até porque, na maioria das vezes, estão embriagados. Um dia tive parte da cara queimada com caldo de feijão. Não me lembro, nem eles me contam como foi - mas seguramente foi por culpa da bebedeira deles e da falta de atenção comigo que só tinha 5 anos no dia que me queimei!  Hoje tenho 26 anos -  viciado em bebida e em cigarro; não sei até quando conseguirei 'segurar a barra', permanecer no trabalho sendo  um álcolatra!

Mães super-protetoras, mães sugadoras de energia (tóxicas), mães que sufocam, são narcísicas.  Não são mães que amam seus filhos, amam apenas a si mesmas! Inclusive as hiper-protetoras; estas, ao fazerem isso estão pensando em seu próprio sofrimento; não no do filho!

Quando a pessoa se torna mãe ou pai, coloca no mundo um outro ser humano!

FILHO, definitivamente não é uma extensão de si, alguém que você pode fazer e manobrar como quiser!  Quando estão maiores, que não precisam de cuidados especiais estão livres para viver suas vidas; inclusive te deixar e nunca mais querer saber de ti!

Aceita, que dói menos!  

É muito egoísmo ter filho pensando em uma velhice acompanhada (com filho de enfermeiro)!  Cada um é cada um; quando decidiu engravidar não pôde perguntar se a 'criaturinha" queria vir ao mundo, mesmo assim você a trouxe!  Assim será responsável por ela, até que ela possa se responsabilizar por si própria; depois é deixar "voar sozinha"; não obrigue, nem faça chantagem emocional com seu filho - eles não te devem nada; não te pertencem, não são uma extensão sua; você sim, deve a eles uma boa vida e uma boa educação!

Quiçá, sabendo criar, dando muito amor - depois de muito "voar" eles retornam para o lar!

Ser mãe ou pai (dos bons) é saber dar amor sem esperar nada em troca! 

Pense nisso!


*OBS: em breve o e-book mães narcisistas (Vampíricas, depredadoras).

Por Elane F. de Souza (Blogueira, Advogada, Articulista e autora do e-book Vampiros Emocionais em venda na Hotmart - AQUI).
Crédito imagens: pixabay


ou em promoção (de R$32,00 reais por R$25,00) durante o mês de janeiro 2019 LANÇAMENTO AQUI

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner