21 de outubro de 2016

Os miseráveis!

Quem assistiu o filme (o musical) "Os miseráveis" e tem um mínimo de sensibilidade saberia dizer o que sentiu Anne Hathawauy ao levar o Oscar de melhor atriz coadjuvante do ano de 2013.

Na época ela afirmou que fingiu felicidade quando subiu ao palco para receber o Oscar!

Mas por que Anne teria agido assim se o normal, o corrente é a pessoa se sentir feliz quando recebe um premio de reconhecimento!?

Porque nem sempre as pessoas estão felizes com a vida (e com mundo); quando é assim, nem mesmo um prêmio de reconhecimento satisfaz e acalenta o coração entristecido. Veja alguns exemplos de pessoas que foram premiadas e recusaram ou não compareceram:  Jean-Paul Sartre, Pensador, Filósofo e Escritor, ele recusou o Nobel de Literatura e todos os outros prêmios que lhe foram "dados"; os porquês disso são muitos, por isso ficarão para uma próxima; outro a recusar o Nobel, desta feita o da PAZ, foi o Vietnamita Le Duc Tho (recusou afirmando que a situação de seu país, na época, não era de PAZ); e, por fim, Anne Hathaway, pelo triste papel de Fantine em "Os Miseráveis" - que não recusou, mas se entristeceu ao recebê-lo!

Quando o profissional é talentoso como ela, que consegue passar o mais profundo realismo através do personagem, o normal é envolver-se na trama, de tal forma que, um longo descanso é necessário; só assim, conseguirá se desvencilhar dos traumas, mesmo irreais, que passou ao interpretá-lo!

Anne disse que o filme foi emocionalmente desgastante e que ainda não havia se recuperado.  Para ela, estar ali recebendo um premio daqueles, vestindo um vestido que muitos(as) nunca terão sequer oportunidade de chegar perto fez com que ela se sentisse mal e envergonhada, ao invés de feliz!

Ambientado na "miserável" França do século XIX, entre duas batalhas, a mais importante de Waterloo 1815; Os Miseráveis (Les Miserábles - opus magnum, do escritor de Vitor Hugo, retrata a vida dos "pobres" e condenados da época. Pessoas que muitas vezes, além de miseráveis, eram também estigmatizadas pela sociedade e pelo "estado"!

As personagens Principais (Fantine, Jean Valjean e Cosette), respectivamente, Anne Hathawauy, Hugh Jackman e Amanda Seyfried sofreram o filme todo e, juntamente com eles, os espectadores de todo o mundo! Dificilmente alguém não se emocionaria com a música que cantam e a expressão de dor representada por gestos, expressões faciais e maus tratos sofridos!

Anne Hathaway recebe Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por 'Os Miseráveis', durante cerimônia da academia
foto por Veja (Kevin Winter/Getty imagens - durante o Oscar 2013)

Naquela época era a França, a miserável, a que não dava nem proporcionava pão aos necessitados; era estigmatizadora, perseguidora, preconceituosa, além de corrupta; hoje somos nós, alguns países latinos e principalmente a Africa Subsariana.  

Parece que voltamos no tempo e nos adaptamos às trevas, onde é melhor proibir o aborto e deixar nascer crianças para passar fome, (entre outros males); onde criminosos (como Jean Valjean que roubou pão) são perseguidos e estigmatizados para todo o sempre; onde políticos recebem (para dormir em plenário) milhares de reais como salário e outros tantos, MILHÕES, como propina advinda de corrupção  

Em nossa humilde opinião, o mundo não é um lugar que se possa viver "sorrindo para as paredes"...; já fui uma pessoa assim e hoje vejo que me faltava lucidez!  

Sorrir, sentir-se feliz e comemorar vitórias enquanto o mundo está desabando sobre nossas cabeças é vergonhoso!  

Além dos motivos do dia a dia da sociedade, outros mais nos deprime, nos entristece: terremotos, tsunamis, guerras de fundo religioso extremista, e, acima de tudo a corrupção que mata mais que nas guerras e nas catástrofes citadas; infelizmente, sobre isso (corrupção) os brasileiros e os povos do continente Africano - especialmente os da Africa Subsariana, conhecem bem (fome, desnutrição e doenças que poderiam, facilmente, ser tratadas com medicamentos básicos) ...SÓ QUE NÃO!

Sem investimento na educação, na saúde e segurança é que vivem os corruptos da política!  Enquanto houver pobre, analfabeto haverá voto fácil; às vezes, a troca é feita por um simples botijão de gaz, um milheiro de telha, um emprego e até uma vaga na UTI do SUS, para um familiar que está na fila - como se o SUS fosse deles e pudessem barganhar! 

Agindo dessa forma é normal encontrarmos pessoas submissas, mal informadas, revoltadas e até violentas; dispostas a uma vida de crimes para conseguir o que querem. 

Para "tentar" se igualar a parcela menor da sociedade (a dos políticos corruptos) que possui bons carros, boas casas, vidas de luxo, essas pessoas irão para o mundo do crime, não se importando qual seja (tráfico de drogas, roubos a banco, a joalheria, a supermercados e até pedestres, e à mão armada - sempre dispostos a tudo para obter o que querem)....;

...infelizmente, tudo começa na política, com os políticos que deveriam investir todos os recursos do Estado em prol da sociedade, proporcionando segurança, educação e saúde; isso seria o básico para termos uma sociedade mais igualitária e menos violenta!

Por tudo isso, concordo com Anne: comemorar benesses em nosso favor enquanto algumas pessoas morrem de fome, ou frio por falta de roupas e um teto, ou até de doenças que, facilmente seriam curadas; causa um tremendo vazio, um pesar, uma tristeza sem fim; é como se pudesse rever, vez após outra, o filme "Os Miseráveis" e me colocasse na pele da personagem Fantine (Filme estrelado por Hugh Jackman e Anne Hathaway nos papéis principais - AQUI, pelos brasileiros)!

Obs.: para os que pensam que esse texto foi escrito por uma "petralha"  - ENGANAM-SE, sou anti-partidária e contrária a política da forma como é no Brasil (corrupta num todo); digo isso pois penso que assim evitarei comentários esteriotipados como: "se gosta de banana é macaco"! Dá para gostar de banana e não ser macaco, CERTO?

Hoje em dia está difícil discursar sobre irregularidades políticas, corrupção e políticas sociais - quando as pessoas deparam com discursos assim já tacham como sendo de autoria de algum defensor do partido X ou Y, e não deve (nem pode) ser assim!  Um exemplo para "clarificar ideias descontextualizadas": Eu amo o próximo quase com o mim mesmo, sou contra pena de morte e sou empática - no entanto, AVERSA A QUALQUER RELIGIÃO E DEUSES! 


Por Elane F. de Souza (Advogada e Autora deste Blog) Ao copiar ou redistribuir cite a fonte
Fonte inspiração: Veja com Anne
Foto/Créditos: Veja durante o Oscar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário ou envie uma pergunta

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner