31 de julho de 2019

Qual é o sentido da vida?

Não ter sentido - nascemos sem pedir e morremos sem querer!

Mesmo sendo a vida sem sentido, a morte nos causa medo; literalmente nos sufoca - inclusive para  os que tem religião e a crença de que há uma vida melhor após à morte, tem MEDO; tem demasiado medo dela; o que é lamentável, pois não devia ser assim! 

Sou até capaz de afirmar que os mais medrosos são os que tem crenças!

Mas, por que isso acontece se vão para um lugar melhor?  Um paraíso, ou céu, um lugar cheio de beleza e amor?  

Deveriam rogar para que o tempo terreno fosse o mais breve possível (economizavam sofrimento), mas não; quando adoecem ou acidentam rogam por tudo que é sagrado para seguir aqui, neste mundo sem sentido, cheio de dor, de angústia, de inveja, de medo e sofrimento!

Quando estão em apuros e correm risco de morte -  oram, rezam muito, clamam pela entidade que inventaram e chamam de Deus, para que lhes poupe a vida ou a dos seus entes queridos!

Seria lindo ver os novos religiosos (de todas as crenças) se igualarem aos mártires cristãos que iam para a morte na Arena de Roma (Coliseu - COLOSSEO), cantando hinos de louvor, mesmo sabendo que seriam devorados por animais ou queimados vivos!

Esses sim, eram verdadeiros cristãos - os de hoje, especialmente os líderes, só pensam na riqueza, no luxo que uma religião lhes pode dar na terra; enquanto isso, as pobres "ovelhas", algumas nem tão pobres assim - (e aqui me refiro à pobreza de crença, de fé), porque umas são verdadeiramente inocentes e crentes; seguem pela fé, mas há outras que se puderem, se houver oportunidade matam, estupram, violam, roubam, traficam, são corruptos ou tudo junto; isso quase sempre acontece por detrás de uma religião (uma crença para o mundo ver - ou para "inglês ver", como acharem mais conveniente); mas se houver um deus esses serão àqueles que receberão, na voz do Senhor, o escrito em Mateus 7.21; qual seja:

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus, mas àquele que faz a vontade do meu pai que está nos céus"!

Entretanto, para os ateus a vida é aqui; deveríamos desfrutá-la aqui - todavia não é diferente para nós, pois também temos medo - quando digo nós me refiro mais a mim que não tenho crença (sou atéia) e alguns que se 'parecem' comigo (são ateus) e agem como eu ajo. 

Não seria mais coerente desfrutar de tudo, já que tudo se resume a isso aqui?  

A morte é apenas um vazio, um nada; seremos poeira cósmica ou quiçá adubo para a terra! 

No  meu caso, em específico, não desfruto e ainda a considero um asco - totalmente sem sentido, sem coerência; uma insanidade colocar filho no mundo sem saber qual é o verdadeiro propósito da vida; ou será que é mesmo não TER PROPÓSITO, não ter sentido?!

Por outro lado, tenho a esperança de que ninguém (que nenhuma crença) esteja correta! Não quero uma vida melhor em outro lugar; tampouco repetir a vida aqui; queria uma vida feliz agora, pois é o agora que tenho para viver; sonhar que possa voltar a viver outra vida na terra (como creem os espíritas) me dá até vertigem! Passar por tudo outra vez, melhor ou pior, é um pesadelo que não quero ter, nem desejo para os inimigos - se preciso for até oro, rezo e clamo com um pouquinho de esperança, ou seja, um pouquinho de fé!

O tempo é infinito; já nossa vida é um moco, um escarro - quando começamos a entender algo, ou desfrutar de algo ela se vai.

Por que não nos comportamos como uma planta ou um cão? 

Esses não passam o tempo perguntando qual é o sentido da vida e não se  importam quanto tempo estarão aqui, e quando partirão! Apenas agem como planta e cão!  Desfrutam!

Quem não encontra sentido para vida seque perguntando e sofrendo com as dúvidas - as minhas vem desde que entendo estar viva!  

Ainda sem entender absolutamente nada me perguntava: porque tudo é tão angustiante? Por que os sol nasce e se põe? 

Por que chove, faz frio e meus ossos da 'canela' doem? Por que falam tanto de um deus que me causa paúra?  

No entardecer as nuvens se transformam em bruxas, caixões e sobre eles sobrevoam os anjos do apocalipse - cada um com uma cara mais medonha!  

- Porque me fazem isso, sou apenas uma criança de 6 anos? 

Eu deveria me sentir amada; não tenho pecados, não pedi para nascer?  

Estou pagando por algo que não sei? E se não sei, porque estou pagando?

A criança cresceu, mas as perguntas seguem sendo quase as mesmas, só que agora já devo ter muitos pecados! 

Afinal, viver é sobreviver, passar o tempo, esperar o momento final ou tentar encontrar a felicidade em meio caos?  E se encontrar, estar sempre feliz em meio ao caos não é meio que insano, não é agir como um abobalhado?

Realmente, após cinquenta anos de vida não dá para continuar buscando o sentido da vida - estar mais para lá do que para cá, só me deixa uma certeza: a vida é um amontoado de contexto sem sentido nenhum!

Por Elane Ferreira de Souza (ao copiar ou redistribuir, cite a fonte).
Estamos também em:
DCJ no JusBrasil;
DCJ blog;
Divulgando Direitos e 
DCJ Canal do Youtube
No facebook estamos em Diário de conteúdo Jurídico.
*Abaixo, um vídeo com com transcrição do texto com música de fundo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário ou envie uma pergunta

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner