11 de janeiro de 2019

Mães que sugam, mães que sufocam!

Mãe é uma pessoa como eu e você; não é alguém especial, diferente e única, dentre os demais seres humanos!

Muitas postagens 'rasas' de Facebook, Instagram costumam endeusar as mães, mas nem sempre elas são passíveis e merecedoras de tais elevações! 

Sei que muitos irão julgar o que digo; pensarão, inclusive, que a minha mãe deve ser uma das que sufocam e sugam - ledo engano! 

Tenho sorte, a minha é das perfeitas!

Pode parecer injusto e até passível de má interpretação, mas é bem isso! Nem toda mãe é preparada ou estava preparada, ou queria ser mãe; e mesmo as que queriam e querem, acabam por 'meter os pés pelas mãos'!

Não é incomum filhos reclamarem de seus pais e até odiarem seus genitores! 

Bem normal isso; afinal, como já dissemos, mães e pais são pessoas comuns, gente normal - a única diferença é que eles são pais ou mães e nós, seus filhos!
imagem pixabay
Criança manipulada, manobrada 

Algumas das maiores reclamações dos filhos são:

*Minha mãe exige que eu curse algo que ela quer, não se importa com o que gosto e quero fazer da vida.

*Minha mãe é tão 'super-protetora' que passa 24 horas do dia me ligando ou mandando mensagens para saber onde estou e quando volto - isso me sufoca!

*Minha mãe passou a me odiar o dia que descobriu que eu era gay (lésbica, bi ou trans.). Não fala mais comigo, me isolou; é como se eu não existisse naquela casa.

*Minha mãe sempre me fez trabalhar duro, desde pequeno(a), (não tive vida infantil, tampouco adulta); acabei ajudando ela a criar meus outros irmãos - pessoas que ela pariu - não eu!

*Minha mãe se utiliza da minha beleza para ganhar dinheiro fácil - me prostitui desde pequena e agora quer que eu me case com um cara rico (velho) para sustentar a casa, a ela e meus irmãos.

*Minha mãe se impõe a tudo que gosto e quero. Para ela nada que faço está bom! Diz, constantemente, que sou burra, feia, não tenho nenhum talento e atrativo - às vezes me diz que o melhor seria se tivesse me abortado.

*Creio ser uma moça bonita e todos dizem isso; todavia, a minha mãe diz o contrário e tem ódio quando visto roupas bonitas e me maquio; dá impressão que ela tem inveja de mim - por isso faz tanta questão de dizer que sou feia e que ninguém vai me querer! Tenho vontade de chamá-la de velha, acabada e invejosa (só por vingança e para ela tomar do mesmo veneno que me dá)!

*Minha mãe sempre me bateu por tudo! Lá em casa eu era o 'saco de pancada', sempre obrigado a trabalhar muito mais que meus irmãos. Os poucos dias livres ou desempregado era chamado de vagabundo, comilão, desajeitado e com cara de trouxa! Ela mesma, 'ainda jovem', ficava em casa dormindo ou recendo amantes para comer do dinheiro que eu colocava em casa.

Criança infeliz, usada pelos pais - por pixabay
*Minha mãe teve 4 filhos. Creio que nunca amou nenhum! Sempre me perguntei porque teve tantos filhos se não tinha marido e cada um era de um pai? A resposta veio quando cresci um pouco e fui obrigado a ir para a rua de uma grande cidade pedir esmola e limpar carro. Essa era a minha utilidade e a dos meus irmãos. Com muito esforço fiz o ensino médio-técnico e acabei arrumando um emprego de verdade. Foi aí que fugi de casa e de cidade. Nunca mais soube dela e de meus irmãos (só tenho pena deles).


*Minha mãe é prostituta (já tem 38 anos) e duas filhas. Eu sou a mais velha, estou com 16 anos. Como vivemos no mesmo local onde ela faz programa acabo sabendo (não olhando) tudo quanto é de pornografia. Felizmente gosto de estudar. Já estou no segundo ano do ensino médio e pretendo fazer um curso técnico para trabalhar fora e poder sair desse ambiente doente em que ela vive, e nos faz viver. No entanto, ela diz que prefere que nós também (eu e minha irmã) sejamos prostitutas - "gente pobre como nós é o que resta para fazer"(diz ela), e mais, diz que ajudará a nos transformar em boas profissionais do sexo!  Que mãe faria isso? Isso é amor de mãe? Eu e minha irmã odiamos isso e queremos crescer logo para fugir dela e ir trabalhar, até de doméstica, que é mil vezes melhor!

*Fumo e bebo desde os 6 anos de idade. Meus pais foram os responsáveis por isso. Que pai ou mãe, de bom caráter, daria bebida e cigarro para uma criança tão pequena? Pessoas assim não servem para ser pais; são irresponsáveis demais - colocam a vida dos filhos em risco sempre, até porque, na maioria das vezes, estão embriagados. Um dia tive parte da cara queimada com caldo de feijão. Não me lembro, nem eles me contam como foi - mas seguramente foi por culpa da bebedeira deles e da falta de atenção comigo que só tinha 5 anos no dia que me queimei!  Hoje tenho 26 anos -  viciado em bebida e em cigarro; não sei até quando conseguirei 'segurar a barra', permanecer no trabalho sendo  um álcolatra!

Mães super-protetoras, mães sugadoras de energia (tóxicas), mães que sufocam, são narcísicas.  Não são mães que amam seus filhos, amam apenas a si mesmas! Inclusive as hiper-protetoras; estas, ao fazerem isso estão pensando em seu próprio sofrimento; não no do filho!

Quando a pessoa se torna mãe ou pai, coloca no mundo um outro ser humano!

FILHO, definitivamente não é uma extensão de si, alguém que você pode fazer e manobrar como quiser!  Quando estão maiores, que não precisam de cuidados especiais estão livres para viver suas vidas; inclusive te deixar e nunca mais querer saber de ti!

Aceita, que dói menos!  

É muito egoísmo ter filho pensando em uma velhice acompanhada (com filho de enfermeiro)!  Cada um é cada um; quando decidiu engravidar não pôde perguntar se a 'criaturinha" queria vir ao mundo, mesmo assim você a trouxe!  Assim será responsável por ela, até que ela possa se responsabilizar por si própria; depois é deixar "voar sozinha"; não obrigue, nem faça chantagem emocional com seu filho - eles não te devem nada; não te pertencem, não são uma extensão sua; você sim, deve a eles uma boa vida e uma boa educação!

Quiçá, sabendo criar, dando muito amor - depois de muito "voar" eles retornam para o lar!

Ser mãe ou pai (dos bons) é saber dar amor sem esperar nada em troca! 


Por Elane F. de Souza (Blogueira, Advogada, Articulista e autora do e-book Vampiros Emocionais em venda no Blog Divulgando Direitos  AQUI

Crédito imagens: pixabay




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário ou envie uma pergunta

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner