8 de setembro de 2018

Os inconvenientes das redes sociais

Pela 'ordem' de inconveniência, citemos:


1º LUGAR: Facebook
Uma das coisas mais chatas dessa rede é receber a previsão do tempo por àqueles que chamamos de amigos - pessoas que geralmente não sabem SEQUER o nome das constelações,  dos planetas, tampouco dos fenômenos naturais (mas jura que sabe de previsão - como se ela não estivesse na "rede" para todo mundo que tiver interesse, encontrar);

2º LUGAR: Facebook
Pessoas que dão bom dia - mas não um bom dia personalizado (escrito e direcionado); apenas um bom dia com posts construídos e estilizados por alguém da internet (que NÃO ele).  Receber um bom dia assim entra em um "buraco e sai no outro" (gostaria de saber, como essas pessoas agiam antes de face); porque, mesmo hoje, o bom dia é só no face - na rua não te dirigem a palavra (todavia são seguidores mútuos). Pessoa que dá bom dia, boa tarde e boa noite via mensagem de celular, não é de Deus, não! Eita povo chato e desocupado - pior é que fica esperando retorno!

Redes Sociais por Pixabay

3º LUGAR: Facebook
Pessoas que conhecemos pessoalmente  (há perfis com tantos seguidores que se a pessoa conhecer  10% deles é muito - e não estou falando de gente famosa); o mais chato desses conhecidos é ver a felicidade estampada em fotos de viagens; família unida e feliz, quando na verdade sabemos que "quebram o pau"; "deitam o cacete" uns nos outros, inclusive nos filhos - só "são felizes" na foto que é postada;

4º LUGAR: WhatsApp
Para mim se transformou no primeiro em inconveniência e chatice exacerbada (igual ou mais que o facebook). Pessoas que nunca te deram a mínima, conseguem teu número ou entra no mesmo grupo que você está e, de repente, passaram a te desejar o melhor dos mundos! "fique com deus! Como está você, Te amo, Você é maravilhosa, Deus te ama - sem falar nos nada originais postezinhos pré-fabricados por terceiros (esses últimos dão menos trabalho e são bonitinhos - demonstram mais 'amor' e possivelmente mais agradecimento e feedback)". Geralmente bloqueio essas pessoas (seus números); se um dia me questionarem digo que não tenho mais whatsapp (ou perdi o celular com o chip - se colar, colou!  Se não colar, melhor, assim desistem de mim, vê que estou mentindo e criam vergonha na cara).

4º LUGAR: WhatsApp (ainda em 4º)
Fazer parte de grupo - hoje, se ainda me chamarem para fazer parte de grupo (mesmo de família, e principalmente de família) eu 'puxo uma arma carregada'! Pelo amor de quem vocês acreditam, paz não tem preço - não creio que haja coisa pior que ter um telefone apitando o tempo todo, com lixo eletrônico entrando a cada segundo. A coisa é tão séria que chega um momento que a pessoa só vive para apagar a sujeira que enviam - sequer sobra espaço para o que é realmente importante.

Fico aqui pensando: como é que que as pessoas passavam vergonha antes de aderirem esse monte de rede social?

5º LUGAR: Instagran - esse pouco me incomoda - acabei de entrar para ver se conseguia fazer publicidade de meus produtos (só que não!). Mas sempre soube como funcionava; só entrei por orientação de alguns programas de afiliados; infelizmente, o sistema de publicidade deles está vinculado ao facebook (e o face bloqueou a minha conta de anúncios, de negócios).

O Instagran, apesar de ser um bom local para publicidade paga, é também uma rede social - uma dessas que tem como maior finalidade postar fotos, pequenos vídeos, gifs (e agora o IGTV - que tem maior tempo e a novidade dos vídeos verticais).

- O que penso dele?  

Para pessoas comuns (que não são artistas, nem celebridades), a finalidade do INSTAGRAN é mostrar o 'lado' que a pessoa gostaria de ter - NÃO o que verdadeiramente tem! A maioria usa uma máscara de maquiagem ou filtros que acabam transformando ela em outra pessoa. Em muitos pontos se assimila ao facebook (se passarmos o dia ligados acabamos descobrindo o que a pessoa come, onde vai, com quem se reuniu, o que ganhou, se está bem ou mal - no face, até o checking é possível fazer - dá para marcar, indiretamente, um encontro com psicopatas e violadores! Já no Instagran, não sei se dá para marcar encontros macabros como os do face; mas se marcar, seguramente vão encontrar outra pessoa (a do instagran nunca é a mesma da vida real).

As pessoas do mundo sempre foram carentes e não sabíamos, ou se tornaram assim depois da invenção das redes sociais?!?!

Não tenho uma resposta para uma pergunta tão complexa. Além disso, não vim aqui apenas para criticá-las; afinal, é uma ótima invenção, aproxima pessoas e proporciona mil e uma utilidades; no entanto, a maioria de nós não sabe utilizá-las adequadamente e com parcimônia. Principalmente os 'desocupados'. Estes fazem uso delas como se todo mundo vivesse como eles - sem nada mais para fazer!

O que vou dizer agora não é um conselho, é apenas uma dica: que tal voltar a olhar na cara dos pais, dos filhos e dos amigos (os de verdade); não aqueles milhares que pediram amizade para fazer número no perfil?  Voltem ao mundo real, dêem atenção ao seus seus familiares e amigos próximos, esses saberão dar valor a um bom dia cara-a-cara, a um abraço de verdade, a um afeto - eu, pelo menos, não dou à mínima para coraçõezinhos, flores e beijinhos virtuais (especialmente de quem não conheço). Esses milhares de beijinhos e flores que envia para quem está distante ou sequer conhece, não te dará a mínima  o dia que você sumir e quiçá tiver morrido ou acamado(a). Valorize-se e valorize quem realmente faz parte de sua vida!

Por Elane F. de Souza (Adv.; administradora deste e de outros Blogs e a pg. DCJ no Facebook).

Imagem/crédito: pixabay grátis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário ou envie uma pergunta

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner